quinta-feira, 14 de julho de 2016

DEPUTADO PAULO RAMOS: PM morto não é número é gente.

Durante muito tempo, proclamaram o sucesso dessa última quadra da vida do nosso Estado com as chamadas Unidades de Polícia Pacificadora, "UM RÓTULO MENTIROSO", porque de pacificadora não tem nada. Vários policiais militares vieram até de outras áreas do Estado e há Municípios reclamando que perderam efetivo. Eles vieram e permanecem trancados no quartel de lata. Trancados por quê? Porque as instituições policias vão lá, fazem as operações, deixando um rastro de sangue e depois ali permanecem para receber a reação da população àqueles policias militares, com todas as UPPs praticamente perfuradas de bala.
E a morte dos policiais? Somente agora está se transformando num clamor. A população começa a se dar conta de que do lado do Estado há um número tão grande de mortes e de feridos: 60 mortos por ferimentos de arma de fogo. Há os mortos em serviço por acidentes automobilísticos, mas são aproximadamente 260 baleados, alguns ficando paraplégicos, tetraplégicos, amputados, perdendo órgãos como pulmão. DEPUTADO ESTADUAL PAULO RAMOS

  

2 comentários:

Anônimo disse...

UPP, projeto falido, so serve para ficar segurando policiais de outros municipios, principalmente do interior, isso tem de acabar antes que acabe com mais policiais, so nao ve quem nao quer.

Anônimo disse...

se esses deputados funcionassem não haveria tanta morte