terça-feira, 30 de outubro de 2012

Pacientes do hospital público elogiam atendimento e mandam recado ao secretário de Saúde

Miguel Couto: pode ir sem medo, SÉRGIO CÔRTES
                                                  DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS


Pacientes do hospital público elogiam atendimento e mandam recado ao secretário de Saúde
 "Minha filha foi muito bem atendida aqui e tenho certeza de que ele também seria. Ainda mais sendo o secretário de Saúde. Pode vir para cá, secretário!", disse Alexandra Borges Gomes, de 28 anos, enquanto aguardava, na emergência do Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, o resultado dos exames feitos na pequena Thayná, de 2 anos, que sentia dores na barriga e já havia vomitado algumas vezes.
A diarista se referia ao secretário estadual de Saúde, Sérgio Cortes, que, ao sofrer intoxicação por fumaça e um corte na perna num incêndio que atingiu sua cobertura dúplex, na Lagoa, na madrugada de sexta-feira, preferiu ser levado a um hospital privado ao de referência do Samu na região, o Miguel Couto.
Mas se há quem esnobe, outros fazem questão de ser atendidos lá. E o caso da estudante Letícia Aparecida de Almeida, de 19 anos, que mora a cerca de 30 quilômetros do hospital — a cobertura de Cortes fica a 1,5 quilômetro da unidade —, mas só confiou nos médicos do Miguel Couto para examinar seu filho de 2 anos, que se acidentou numa piscina.
— Moro em Curicica. Peguei dois ônibus para chegar aqui. Levamos uma hora e meia com o Henry no colo, chorando de dor, mas não vou ao Lourenço Jorge nem a nenhum outro hospital. O atendimento aqui é melhor — disse ela, que, cerca três horas depois, saía da unidade com o filho imobilizado. — Foi uma fratura de fêmur. Valeu a pena ter vindo aqui.
Acompanhando a mãe numa enfermaria da Clínica Médica desde quarta-feira, o auditor fiscal de qualidade Evandro Marques, de 32 anos, também é só elogios: 

"Vim de Curicica, mas valeu a pena. O atendimento é bom"
Letícia de Almeida
Estudante 
 
— O atendimento aqui é diferenciado. O secretário de Saúde poderia vir para cá. Ele seria bem tratado. E devia ter dado o exemplo. Se todo mundo tem que passar por um hospital público, ele também deveria.
 
PERGUNTAS QUE FICARAM SEM RESPOSTA
 
O PRIVILÉGIO
A Secretaria estadual de Defesa Civil, responsável pelo Corpo de Bombeiros, não respondeu ao EXTRA por que a guarnição que levou Sérgio Cortes para um hospital privado, em vez do de referência, não será punida, já que quebrou uma norma da corporação.
Também não informaram quem deu autorização à equipe para quebrar a regra.
 
A NORMA
A Secretaria de Defesa Civil também não informou a razão de existir uma norma que determina que as vítimas sejam levadas apenas para os hospitais de referência da rede pública.
 
ATENDIMENTO DO SAMU
A assessoría de imprensa dos Bombeiros respondeu que não informaria quantas remoções foram feitas para hospitais públicos e para hospitais particulares desde o ultimo sábado pelas ambulâncias do Samu/GSE.

JORNAL EXTRA

3 comentários:

Blog Da Verdade - Blog Of Truth - Blog De La Verdade disse...

BALA PERDIDA: O resultado da incompetência do estado em não preparar bem seus policiais http://blogdaverdaderj.blogspot.com/2012/10/bala-perdida-o-resultado-da.html?spref=tw

Anônimo disse...

Esse jornalista arrombado que pergunta em tom de deboche "por que os bombeiros não foram punidos por quebrar a norma de levar o paciente para hospital de referência na área?" está dando idéia de eles arrumarem um jeito de salvar o secretário. Daqui a pouco vão divulgar que puniram a guarnição por eles terem quebrado a norma sem ordem superior.

Anônimo disse...

esse povo é invejoso,deixa o cara p/lá se ele vier como deputado todo mundo vota,eles sempre gostaram de puxar saco de quem tem,isso é velho,e ainda querem envolver o bombeiros se cada um tratasse da sua vida o estado seria bem melhor ,pixavam o hospital da posse bastante tempo,pixaram o bornier, lá em nova iguaçu, adivinhe quem foi eleito lá? esse povo é assim mesmo.