terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Polícia Civil vai distribuir 10.500 presentes para crianças da Vila Cruzeiro

Brinquedos serão levados para a comunidade pelo caveirão

Policiais civis de todas as delegacias da capital e especializadas vão entregar 10.500 presentes nesta quarta-feira (29) para as crianças da Vila Cruzeiro, na Penha, que está ocupada pela polícia desde a última semana de novembro.

Um helicóptero da Civil vai participar da operação e a previsão é que um policial desça de rapel para a entrega dos presentes que foram doados pelos próprios policiais. Os presentes serão levados à comunidade dentro do caveirão, o veículo blindado utilizado nas operações policiais.

A distribuição começa a partir das 10h.

R7

Rio vai aumentar salário se PM matar menos em confronto

Depois daquela "encenação" da anunciada tomada do morro do Alemão, dando um dia e uma noite de trégua para os traficantes deixarem o morro... e com entrada das polícias e forças armadas sem dar um só tiro... Tudo é possível!


A Secretaria de Segurança do Rio vai instituir, a partir do ano que vem, premiação para a redução de mortes provocadas pela polícia. A média de autos de resistência no Estado é de cerca de dois casos por dia. A medida será semelhante à premiação por alcance de metas já adotada há um ano e meio. O governo já distribuiu cerca de R$ 17 milhões em um ano a policiais pela redução de homicídios, roubos de veículos e na rua. Entre janeiro e outubro deste ano, 697 pessoas foram mortas pela polícia em supostos confrontos, segundo dados do ISP (Instituto de Segurança Pública) -em São Paulo, foram 388 mortes entre janeiro e setembro. Apesar da alta cifra no Rio, há queda de 22% comparado ao mesmo período de 2009. A secretaria não divulgou a meta a ser instituída. A nova premiação chega 12 anos após o fim da gratificação faroeste, adicional ao salário de policiais por atos de bravura. A medida, que vigorou entre os anos de 1995 e 1998, no governo Marcello Alencar, premiava na prática a morte de suspeitos, segundo especialistas. Os autos de resistência -rúbrica sob a qual mortes provocadas por policiais em serviço são inscritas- tiveram recorde em 2007, primeiro ano da gestão Sérgio Cabral Filho (PMDB). Foram 1.330, o maior desde 1998, quando começou o registro discriminado dos casos. A principal marca do setor foi a operação no Complexo do Alemão em junho de 2007, quando 19 suspeitos foram mortos pela polícia. A redução começou apenas em julho de 2008. Segundo analistas, reflexo da morte do menino João Roberto Amorim, 3, atingido por PMs que acreditavam atirar num carro com bandidos em fuga. Em 2008, foram 1.137 casos, e em 2009, 1.048. Se mantido o ritmo, a estimativa para 2010 é de 813 vítimas.

Folha de São Paulo

PERSEGUIÇÃO POLICIAL

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Leia este absurdo seria bom que os policiais e bombeiros processassem o VIVA RIO

Pesquisa revela que Brasil tem 7,6 milhões de armas ilegais e que maioria não entra no país pelas fronteiras

Oitenta por cento das armas apreendidas no país são de baixo calibre, como revólveres, pistolas e espingardas de caça. Fuzis, metralhadoras e outros armamentos pesados fazem parte, em sua maioria, da realidade de apreensões durante operações contra o narcotráfico nas comunidades do Rio de Janeiro feitas pela Polícia Federal e pela polícia do estado.

Os dados fazem parte do Mapa do Tráfico Ilícito de Armas no Brasil e do Ranking dos Estados no Controle de Armas apresentados nesta segunda-feira pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto. Os estudos foram realizados em parceria com a organização não governamental Viva Rio.

Segundo o coordenador do projeto, Antônio Rangel Bandeira, foram identificados 140 pontos de entrada de armas no Brasil, por fronteiras secas.

- Mas o número de armas que entra pelas fronteiras secas é irrisório se comparado com o número de armas fabricadas no país, compradas legalmente, que vão para a ilegalidade. As armas curtas respondem por mais de 80% das armas apreendidas. O número de armas militares como fuzis, submetralhadoras e metralhadoras é muito reduzido - afirmou.

Pelos dados levantados no Sistema Nacional de Armas (Sinarm), até setembro deste ano, circulavam no Brasil cerca de 16 milhões de armas de fogo. Desse total, 14 milhões (87%) estão com a sociedade civil. Sob a responsabilidade do Estado, figuram 2 milhões de armamentos, ou seja, 13% do total apurado.

Nas mãos dos brasileiros, de acordo com o levantamento, estão 7,6 milhões de armas ilegais - pouco menos das 8,4 milhões legalizadas. O coordenador do projeto destacou que, para melhorar esse controle, é necessário que o Estado implemente políticas mais rigorosas de fiscalização do armamento fabricado no Brasil e, também, entre os comerciantes desses produtos.

Das 288 mil armas apreendidas nos últimos dez anos, constatou-se que 30% foram adquiridas legalmente. "Sem controle do mercado legal, o canal está aberto para que as armas mergulhem na clandestinidade e no crime", destaca o estudo.

As armas de fabricação estrangeiras apreendidas não chegam a 20% do total. Segundo Bandeira, de cada dez armas ilegais tomadas pela polícia, oito são fabricadas por indústrias nacionais.

O coordenador do projeto criticou, ainda, a autorização concedida pelo Estado a policiais, bombeiros e militares que podem adquirir, por ano, três armas a preço de fábrica. "Muitos desses policiais e militares, por ganharem mal ou por outro motivo qualquer, revendem esses armamentos de forma ilegal fazendo disso um comércio", denunciou. O ministro da Justiça disse que a questão será levada para análise no Conselho Nacional de Secretários de Segurança Pública.

Barreto disse ainda que a saída para minimizar o problema é ampliar a Campanha do Desarmamento e incentivar a população a devolver armas que portem ilegalmente, sem o perigo de serem presas ou responderem a processos criminais por conta disso. Luiz Paulo Barreto disse que analisa a possibilidade de estender a campanha, também, para a devolução de munições.

O ministro acrescentou que o governo irá intensificar a vigilância nas fronteiras para combater tanto a entrada de armas como a de drogas.

FONTE O GLOBO

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

PEC 300 NO SIDNEY REZENDE

PEC-300: PMs e bombeiros reivindicam melhores salários no Rio

No dia em que acontece a diplomação dos senadores e deputados eleitos no Rio de Janeiro, agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros aproveitam para manifestar sua insatisfação com os salários pagos à classe.

O protesto conta com menos de 50 pessoas, que, com medo de retaliação, evitam participar do movimento, conforme afirmou ao SRZD um coronel da Polícia Militar, que encabeça a ação. Ele porta uma carta, que será entregue ao governador Sérgio Cabral, com o pedido formalizado pela PEC-300, que visa alcançar o aumento salarial dos oficiais e melhores condições de trabalho. Ainda segundo o coronel, o Rio de Janeiro é o estado onde a remuneração é mais baixa, e também o local onde tem menos participação dos policiais em manifestações.

Agentes carregam faixas e cartazes com o pedido pela PEC-300, e a passeata ainda conta com a presença dos bonecos "Fome" e "Miséria".

A passeata segue acontecendo nas ruas do Centro do Rio, aguardando a chegada das autoridades para a diplomação, que acontece no Theatro Municipal.

- Ex-PM diz que quem entrega panfleto ganha mais do que um policial

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Comissão que investigou violência aprovou projeto que aumenta tributação para reajustar salários de policiais

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara que investigou a violência urbana aprovou nesta quarta-feira (15) o relatório final apresentado pelo relator, deputado Paulo Pimenta (PT-RS). No texto, o relator propôs a apresentação de um projeto de lei para aumentar a tributação da cerveja e da sua publicidade, visando a reduzir o consumo da bebida e aumentar os recursos para reajustar os salários dos policiais.


PEC 300 - RIO - ATO NA DIPLOMAÇÃO DOS DEPUTADOS ELEITOS.

Data: 16 de dezembro de 2010.

Horário: A partir das 13:00 horas.

Local: Teatro Municipal - Cinelândia - Centro - Rio.

Tragam suas faixas e cartazes sobre a PEC 300.


sábado, 11 de dezembro de 2010

CANDIDATA REPROVADA, MAS CONVOCADA PARA EXAME ANTOPOMÉTRICO DA PMERJ



Candidata consta como reprovada, mas está convocada para o exame antopométrico no dia 14/12 às 06:30h no CFAP.

Candidato aprovado em concurso da PM é um e-mail

A Polícia Militar divulgou na última semana a lista dos candidatos aprovados para a primeira convocação do exame antropométrico do concurso ao Curso de Formação de Soldados 2010. Dentre os 1200 chamados para nova fase do processo seletivo, que ocorrerá na segunda e na terça, um deles é um e-mail. Weseleygomes@hotmail.com foi aprovado na 173ª posição e, se existir, deverá realizar a próxima etapa na segunda-feira.
O DIA

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

GRAÇAS AS ORGANIZAÇÕES GLOBO O POLICIAL MILITAR ESTÁ COM ALTA ESTIMA...MAS O SALÁRIO CONTINUA UMA MISÉRIA!

.

PEC 300 JÁ!

1º FESTIVAL NACIONAL DA CULTURA CANÁBICA - FENACUCA


Embalados pelas declarações do governador Sérgio Cabral (PMDB) em defesa da legalização da maconha, os amantes da erva realizam nesta sexta-feira (10) o 1º Festival Nacional da Cultura Canábica, o "Fenacuca". O evento, que acontecerá na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), na capital fluminense, terá seis categorias: artes, cinema, fotografia, poesia, música e prosa. Todas com o tema "Canabis sativa".

O vencedor de cada uma das categorias levará um "troféu personalizado e completamente adequado", além de um "kit smoke (kit fumo)". Um dos pontos altos do festival é o concurso de "Tarperagem", (traduzindo: concurso de "Apertagem") - ganha quem preparar um cigarro de maconha no menor tempo. Entre as atrações do evento estão apresentação do bloco de carnaval Planta na Mente e da Banda Oriente, com Mc Nissin e Cone Crew Diretoria.

Parte da renda com a venda de cds será revertida para a Marcha da Maconha, caminhada que ocorre anualmente em defesa da legalização da erva. A entrada é gratuita e proibida para menores de 18 anos. Para quem não é do Rio, o blog hempadao.com anunciou que "tentará" transmitir o evento ao vivo pela página na internet.

HEMPADAO.COM

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

PEC 300 É NOTÍCIA NOS JORNAIS DE SÃO PAULO

FAIXA USADA HOJE NA CANDELÁRIA

Confederação irá fazer protestos por todo o país para reivindicar mudanças salariais para bombeiros e integrantes das policias civil e militar

SÃO PAULO - A Confederação Brasileira dos Trabalhadores das Polícias Civis (Cobrapol) faz a partir desta quinta-feira, 9, uma série de protestos por todo o país pedindo a aprovação do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 466, que regula um piso salarial nacional para bombeiros, policiais civis e militares.

Hoje os protestos acontecem no Rio e contam com a participação de todos os presidentes das entidades estaduais da Polícia Civil. Os protestos acontecem também, ainda este mês, nas outras 11 cidades sedes da Copa do Mundo de 2014.

No Rio, os protestos de hoje serão no Aeroporto do Galeão, no Cristo Redentor e no Morro do Alemão. Amanhã, 10, uma passeata sairá às 14 horas da Igreja da Candelária, em direção à Cinelândia, no Centro da cidade.

Segundo o presidente da Cobrapol, Jânio Gandra, o piso salarial nacional já é uma reivindicação antiga da categoria. "Foi aprovada em primeiro turno na Câmara, mas está parada. Os protestos são para cobrar a tramitação da PEC", explica.

ESTADÃO


POLÍCIAIS PROTESTAM EM PONTOS TURÍSTICOS DO RIO PARA REIVINDICAR MELHORIAS SALARIAIS.

Bombeiros, policiais civis e militares fizeram nesta quinta-feira protestos por melhorias salariais em pontos turísticos do Rio. Representantes dos 27 Estados, segundo a organização da manifestação, participaram do ato.

Os agentes levaram cartazes e panfletos ao Cristo Redentor, ao bondinho do Pão de Açúcar e aos dois aeroportos da cidade defendendo a aprovação da PEC 300, projeto de emenda constitucional que equipara o salário de todos os policiais do país ao pago em Brasília --onde paga-se o melhor vencimento.

"O governo diz que haverá impacto financeiro. Mas a segurança não tem valor", afirmou Janio Gandra, presidente da Confederação Brasileira dos Trabalhadores das Polícias Civis (Cobrapol).

As atividades foram preparativos para a manifestação principal, a ser realizada nesta sexta. Está programada uma passeata, às 14h, no centro do Rio. A concentração será na igreja da Candelária, em direção à Cinelândia.

FOLHA.COM

Charles Henrique apoia a PEC 300


O rapaz com olhar ingênuo e com vasto conhecimento em assuntos ligados à televisão virou, da noite para o dia, o Charles Henriquepédia, responsável, atualmente, pelos maiores índices de audiência do humorístico PÂNICO NA TV.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

EFETIVO 'PRONTO' DA POLÍCIA MILITAR É MUITO MENOR DO QUE SE DIZIA!


O governador Sérgio Cabral vai conceder gratificação extraordinária de R$ 500 a cerca de 43 mil policiais civis e militares e inspetores da Administração Penitenciária que estão no exercício da função.

Estar no exercício da função quer dizer estar atuando efetivamente como policial. Mesmo reduzindo o efetivo 'pronto' da polícia civil para 9 mil somando com os agentes penitenciários, o número de policiais militares em efetivo exercício seria de 34 mil. O governo do Estado do Rio tem anunciado sistematicamente que concluiria sua gestão com 45 mil policiais militares em exercício. Ficou 11 mil abaixo.

Essa é uma razão para que o policiamento ostensivo esteja claramente defasado e os assaltos continuem crescendo. Promessas de ampliação do efetivo não cumpridas.
Ex prefeito César Maia


CONCEDE GRATIFICAÇÃO EXTRAORDINÁRIA EM PARCELA ÚNICA AOS SERVIDORES QUE MENCIONA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, e tendo em vista o que consta do Processo nº E-01/90117/2010, e

CONSIDERANDO o esforço excepcional realizado pelos profissionais da área de segurança no combate à criminalidade,

DECRETA:

Art. 1º - Fica concedida Gratificação Extraordinária em Parcela Única, no valor de R$ 500,00 (quinhentos reais), a ser paga no mês de dezembro de 2010 aos servidores civis e militares abaixo discriminados:

I - policiais militares abrangidos, nos meses de novembro ou dezembro de 2010, pelos Decretos nº 38.032, de 22 de julho de 2005, nº 41.653, de 22 de janeiro de 2009, nº 41.713, de 02 de março de 2009, nº 42.047, de 24 de setembro de 2009 e nº 42.161, de 02 de dezembro de 2009;

II - policiais civis abrangidos, nos meses de novembro ou dezembro de 2010, pelo Decreto nº 25.847, de 20 de dezembro de 1999, com a redação dada pelo Decreto nº 42.254, de 18 de janeiro de 2010, e

Decreto nº 42.046, de 20 de setembro de 2009;

III - delegados de polícia lotados na Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro ou na Secretaria de Estado de Segurança e em efetivo exercício nos meses de novembro ou dezembro de 2010;

IV - oficiais policiais militares lotados na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e no efetivo exercício de funções de comando, direção ou chefia em novembro ou dezembro de 2010;

V - policiais militares, bombeiros militares e policiais civis lotados e em efetivo exercício junto à Subsecretaria Militar da Casa Civil, à Secretaria de Estado de Segurança ou à Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro em novembro ou dezembro de 2010; e

VI - inspetores de segurança e administração penitenciária, integrantes da carreira de que trata a Lei nº 4.583, de 25 de julho de 2005, lotados e em efetivo exercício junto à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária, à Secretaria de Estado de Segurança ou à Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro em novembro ou dezembro de 2010.

Parágrafo Único - A gratificação ora concedida será paga ao servidor apenas uma vez, ainda que o mesmo se encontre abrangido por mais de uma das situações elencadas pelos incisos constantes do caput deste artigo.

Art. 2º - Não perceberá a gratificação mencionada pelo art. 1º deste

Decreto o servidor que, apesar de inserido em uma das categorias constantes do referido dispositivo, encontrar-se nas seguintes situações:

I - for punido, disciplinarmente, por transgressão disciplinar de natureza grave que tenha ocasionado a instauração de Processo Administrativo

Disciplinar;
II - encontrar-se afastado do serviço ativo por qualquer motivo, inclusive no gozo de férias, licenças maternidade, adoção, especial, para tratamento de saúde própria ou de pessoa da família ou para tratamento de interesse particular nos meses de novembro ou dezembro de 2010; ou

III - estiver, nos meses de novembro ou dezembro de 2010, cedido a outro órgão ou entidade integrante da Administração Pública, incluindo os Poderes Legislativo e Judiciário, Ministério Público e Tribunal de

Contas.
Parágrafo Único - Os afastamentos por licença gala, luto e paternidade, devido à sua pouca duração, não impedirão o recebimento da gratificação mencionada pelo art. 1º deste Decreto, bem como os períodos de férias que tenham sido suspensos ou cancelados, total ou parcialmente, nos meses de novembro ou dezembro de 2010.

Art. 3º- A gratificação mencionada pelo art. 1º deste Decreto não se incorporará, para quaisquer efeitos, aos vencimentos ou soldos, ficando excluída da base de cálculo do adicional de tempo de serviço, bem como de quaisquer outros percentuais que incidam sobre a remuneração dos servidores, não sofrendo a incidência de contribuição previdenciária nem sendo utilizada como base de cálculo para proventos de inatividade ou pensões, sendo porém computada para efeitos de incidência de imposto sobre a renda.

Art. 4º - O presente Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Rio de Janeiro, 06 de dezembro de 2010
SÉRGIO CABRAL

domingo, 5 de dezembro de 2010

PM do Rio tem um dos piores salários

O Estado do Rio, que há duas semanas desencadeou uma guerra ao tráfico de drogas com a ocupação de favelas cariocas, paga um dos salários mais baixos do Brasil aos seus policiais militares.

Ao entrar na corporação, o soldado ganha R$ 1.450, incluídos aí R$ 350 de uma bonificação especial por causa dos Jogos Olímpicos de 2016.

"Os salários são claramente baixos no Rio, mas é difícil ter apoio da sociedade para conceder aumento para uma polícia que comete crimes e faz execuções sumárias", afirma Alexandre Ciconello, pesquisador do Instituto de Estudos Socioeconômicos.

Lei aprovada pelo governo Sérgio Cabral (PMDB) neste ano prevê aumentos mensais no Rio a partir de janeiro. O percentual total de reajuste será completo apenas em 2014, quando somará 70%.

FOLHA

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

CAMINHADA PELA APROVAÇÃO DA PEC 300.

Para juristas, PMs deveriam ganhar mais do Estado

Bônus pagos pela prefeitura é como "dar migalhas" a agentes

As gratificações pagas pela prefeitura para policiais militares lotados nas 13 Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) instaladas no Rio – R$ 500 aos praças e R$ 1 mil aos comandantes – encontram resistência por parte de juristas da área de direitos humanos.

Eles consideram que a iniciativa do poder público é como “dar migalhas” aos policiais, ao invés de criar uma legislação específica para garantir um aumento digno de salários a PMs e policiais civis.

JB

************************************************

VAMOS APROVEITAR QUE A CIDADE DO RIO DE JANEIRO VIVE UM CLIMA DE MORALIZAÇÃO, PARA ACABAR COM ESSE PÉSSIMO SALÁRIO QUE SÃO PAGOS AOS POLICIAIS NO BRASIL.

QUE O CONGRESSO , SENADO E O PRESIDENTE DA REPÚBLICA APROVE A LEI PEC 300 PARA QUE OS POLICIAIS E BOMBEIROS DE TODO BRASIL, POSSAM TER UM SALÁRIO DIGNO .

O PESSOAL DA SEGURANÇA PÚBLICA TAMBÉM FAZEM PARTE DA POPULAÇÃO, E ELES TEM FAMÍLIA COMO TODO CIDADÃO .

O PESSOAL DA SEGURANÇA PÚBLICA NÃO SÃO MÁQUINAS, E SIM SERES HUMANOS.

PEC 300 , JÁ !


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

CONTRA A FORÇA NÃO TEM ARGUMENTO!

Está na HORA DE GRITAR bem alto para todo mundo ouvir!

E deixem o Governador tentar explicar porque no SERGIPE, na BAHIA, em PERNAMBUCO, em GOIÁS e em muitos outros estados deste país os POLICIAIS recebem MUITO MAIS do que nossas forças de segurança estadual.

Isso no estado que tem a SEGUNDA MAIOR arrecadação da Federação, ficando apenas atrás de São Paulo, onde os vencimentos TAMBÉM SÃO UMA VERGONHA.

Seria coincidência o fato de o PT, o PSDB e o PMDB comandarem estes estados há dezenas de anos???
**************************************************************************

Os policiais são OS MESMOS de antes!
O local invadido é O MESMO de antes e sobejamente conhecido por todos!
Os vagabundos são OS MESMOS covardes de sempre!
Então…
O QUE MUDOU?

Perguntas, perguntas, perguntas…
Algumas fáceis de responder, outras bastante incômodas!

Já dissemos aqui que: CONTRA A FORÇA NÃO TEM ARGUMENTO!
Mas é só isso?
Não creio em RESPOSTAS SIMPLES para os questionamentos que TODOS estamos nos fazendo neste momento.

Passados os primeiros DIAS das bem sucedidas invasões, observada a ALEGRIA, a FELICIDADE quase infantil dos POLICIAIS CIVIS e MILITARES com a apreensão de TONELADAS de drogas, CENTENAS de armas e DEZENAS de bandidos, estamos vendo os mesmos HERÓIS ANÔNIMOS que sofreram tanta discriminação, perseguição e patrulhamento IDEOLÓGICO neste muitos anos da DITADURA DO SOCIAL em detrimento da LEI e da ORDEM.

E observem: Mesmo neste momento de VITÓRIA das força de segurança ainda teve ONGueiro tentando APARECER como SALVADOR DA PÁTRIA, com PROPOSTAS DE RENDIÇÃO mirabolantes, como que INSINUANDO que nós seríamos EXECUTORES ou ASSASSINOS em mais uma demonstração de TOTAL INVERSÃO de valores.

Os HOMENS e MULHERES que trabalhavam dia-a-dia, sol-a-sol NAS RUAS E DELEGACIAS da cidade, ANONIMAMENTE, confundidos pela midia com alguns BANDIDOS travestidos de policiais (Policiais, NUNCA SERÃO! - como diria o Capitão.), agora estão sendo EFETIVAMENTE RECONHECIDOS pelo seu valor, por aquilo que efetivamente são:

HERÓIS!

Mas o que mudou?
Como tal “transformação” ocorreu DA NOITE PARA O DIA?
Seria um MILAGRE?
Alguma POÇÃO MÁGICA?
Algum FEITIÇO poderoso?
Efeito das ORAÇÕES e REZAS?
Sei não, mas vai ter SOCIÓLOGO, ANTROPÓLOGO, POLICIÓLOGO e demais ACHÓlogos fundindo a cabeça nos próximos meses.

E nós, QUE NUNCA DESCONFIAMOS da FORÇA e da HONRA dos muitos companheiros com os quais trabalhamos, seja na Polícia Civil ou Militar, vamos por aqui (no BLOG) fazer algumas PERGUNTAS e propor algumas SUGESTÕES DE RESPOSTAS.

E agora Governador?
Vai se organizar e PAGAR DIREITO aos homens e mulheres que estão RECONQUISTANDO o Rio de Janeiro para os seus legítimos donos?

Ou vai continuar HUMILHANDO o servidor público POLICIAL com migalhas?

O NATAL está chegando…
Os servidores da JUSTIÇA, segundo uma amiga que trabalha em um dos muitos TRIBUNAIS deste estado, nos informou que eles vão receber uma “CESTA NATALINA” de R$ 1.000,00 (EM ESPÉCIE) para ajudar na Ceia daqueles servidores.

Que tal, senhor GOVERNADOR, presentear também os POLICIAIS CIVIS, MILITARES e BOMBEIROS que tanto atuaram nesta crise com uma GRATIFICAÇÃO NATALINA mais substancial?
Um BÔNUS DE PRODUTIVIDADE!

Que tal HONRAR as famílias destes HOMENS e MULHERES com, PELO MENOS, uma Ceia Natalina mais dígna?

Os Policiais Civis recebem um Ticket Refeição de R$ 8,00 (dia útil), ou seja R$ 176,00 por mês em seus contra-cheques, enquanto os PRESOS tem refeições muito mais BEM PAGAS pelo estado (Será que é por causa das licitações???).

Alguém aí já tentou tomar CAFÉ DA MANHÃ, ALMOÇAR e JANTAR com R$ 8,00 (oito reais)???

Hummmmm…
Estranho essa matemática que distribui R$ 1.000,00 para quem NÃO ARRISCA SUA VIDA no combate ao crime e pelo Serviço Público, enquanto OBRIGA outros a tentar SOBREVIVER com R$ 8,00 por dia de trabalho.

Então…
Vamos ver se a POPULAÇÃO e a MÍDIA acordam e passam a cobrar VENCIMENTOS DÍGNOS para quem doa, mais do que seu SUOR, entregando muitas vezes o próprio SANGUE ou até mesmo a VIDA pela sociedade.

É isso, ou continuamos a tomar chá com Alice no País das Maravilhas…


GRUPOPCERJ

São Paulo em alerta total




O risco de traficantes do Comando Vermelho expulsos do Complexo do Alemão, buscarem refúgio em São Paulo preocupa as autoridades do Estado. A facção que comanda o tráfico no Rio é antiga aliada do PCC - Primeiro Comando da Capital. Informações extraoficiais apontam que bandidos do Rio solicitaram abrigo ao PCC.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

OPERAÇÃO " ARRANCA O COURO DO PM"

Dois carros do 16º BPM de Olaria foram atacados por criminosos nesta terça-feira na Penha.

Um carro foi incendiado na Avenida Paulo de Frontin, nesta terça-feira no Rio Comprido.

Uma cabine da PM foi metralhada, na Praça do Relógio, nesta terça-feira em Duque de Caxias.

Ataques em Niterói
Três carros foram incendiados nesta terça-feira nas ruas Soares Miranda e São Januário, ambas no bairro Fonseca, e na Rua Santo Antônio, na região de São Lourenço.

E nesta madrugada
Um carro foi incendiado no Parque Lafaiete, em Duque de Caxias.
E em São João de Meriti, um ônibus foi queimado.

Operação “Fecha Quartel”, anunciada pela cúpula da corporação.

Na operação, todos os homens serão utilizados nas ruas, reforçando o patrulhamento e prendendo os envolvidos nos recorrentes ataques. Todos os policiais foram convocados a trabalhar.Os 300 PMs lotados em hospitais e na banda de música também auxiliam no patrulhamento. Outros 1200, que estavam em trabalho administrativo, também estão nas ruas.

DETALHE:

"Ouvindo a BandNews, o jornalista Ricardo Boechat colocou no ar um soldado da PM, que disse estar ligando do QG da corporação indignado. Ele relatou que policiais militares estão sendo obrigados no dia de hoje (terça) a irem para a rua reforçar o policiamento, mas faltam coletes à prova de bala e pasmem até pistolas ponto 40, usadas pela PM".BLOG SOBREVIVENTES DA PMERJ

CONHEÇA O BLOG DO HOSPITAL PEDRO II


sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Cinco razões para detestar ser policial militar

Razão UM: Queria Deus que eu esteja errado! A pior parte de ser da polícia militar é o militarismo. Em parte porque esse traço sempre representou uma arma contra o próprio militar. O militar é contra tudo e todos, o que não o libera de ser contra si mesmo ou contra seus semelhantes. Nada mais contraditório do que servir ao Estado e tê-lo contra você. Em toda a História da humanidade, não há um único exemplo em que ‘o militar’ tenha agido e não tenha pecado de alguma forma, pelo excesso ou pela falta. A farda tem uma simbologia singularmente paradoxal. É um misto de controle ao outro e autocontrole. O protesto alheio é reprimido pela força policial em defesa do Estado, e este invalida as ações da polícia com base na Lei e contra a própria polícia, que é quem é responsável por fazê-la cumprir; talvez seja essa a razão de o militar não ter vez com o governo. E muito se ouve que o poste não pode fazer xixi no cachorro. E o militarismo amordaça o militar e dilui nele a democracia e – por vezes até – o trancafia atrás das grades como um meliante. O militar tem dois fardos a carregar, a hierarquia e a disciplina.

Razão DOIS:
o povo. A relação da polícia com o povo é como uma faca de dois gumes. Alguém sempre sai perdendo nesse embate. Em meio à população, há de tudo: pais de família, trabalhadores, homens de bem, pessoas de boa índole, estudantes, menores, grupos vulneráveis, doentes e incapazes, e os que reúnem um pouquinho de tudo. Ao que parece, só não tem bandido. Todos, na intenção de demonstrar sua indignação, gritam aos quatros cantos do mundo que não são isto, não são aquilo ou que são assim ou daquele jeito. À polícia cabe a ação. E, se ela não age, erra pois foi chamada para agir e, se não ia fazer nada, para que foi até lá(?); se age, erra também porque exagera. Se não ia dar flores, também não precisava ser grosseiro(!). É chamada para controlar. E quando controla, aparecem especialistas de todas as brechas para criticar. O povo está quase sempre contra, pois é do seu meio que provém toda a mazela da vivência humana. E, quem quer ser a mazela? Quem admite ser pai, mãe de uma ou ser a materialização da mazela? Quem quer ser a ‘pessoalização’ do que é ruim no meio social? Daí a se compreender o porquê da relação pífia entre polícia e sociedade...

Razão TRÊS:
a justiça. Povo, Estado e justiça estão sempre aliados contra a polícia. O judiciário é quase inócuo quando o assunto é o direito do policial nas situações-problema geradas pelo serviço. Não há apoio. Não é feito o mínimo para compreender que quem está em desvantagem no confronto armado contra o crime organizado é o agente, porque tem muito a perder e deve esperar o primeiro tiro (que pode ser fatal) para contra-atacar.
O povo e o Estado vivem uma relação de amor e ódio. Um mendigando o que lhe é de direito e penando socialmente, e o outro se omitindo quanto ao cumprimento de suas obrigações, das leis que cria para ludibriar o cidadão, desconsiderando sua necessidade.
O que dizer da Constituição? A justiça, assim como o Estado, depende da polícia para ter suas ações legitimadas; ações judiciais e estatais seriam validadas frente ao povo por quem, senão pela força policial? Porém, nem juiz nem governador veem isso, e – se veem – fingem não ver. Há muito, a polícia não tem o respeito da população, jamais teve do Estado, porque patrão não respeita empregado nem justiça nenhuma comunga com ela. É uma relação triangular contraditória e injusta e a corda sempre arrebenta do lado mais fraco; neste caso, de quem não pode se manifestar porque contraria o regimento.

Razão QUATRO: Os Direitos Humanos. Policial militar é militar, não é humano. Quando começa a vida de militar ainda aluno-recruta, é tratado por bicho. Na intenção de recrudescer a ‘pessoa civil’ para torná-lo ‘um militar de verdade’, o treinamento beira a inconsequência desumana; são pressões psicológicas, situações de estresse físico, humilhações e outras torpezas, buscando preparar o recruta para a vida a pronto, para poder estar frente a frente com o perigo e não amarelar nem colar as placas. O que resulta disso tudo, em alguns casos, se vê pelas ruas e nos noticiários. O militar passa a não ser humano e a viver entre eles. Talvez seja por esse motivo que quando um deles é trucidado, faz-se o enterro, dá-se uma salva de tiros e se põe a farda em outro. Muitas vezes a morte de um agente passa em branco.
O jornalismo não acha interessante relatar o fato de um qualquer fardado e a serviço do Estado (recebe para isso) ser assassinado, às vezes com requintes de crueldade, e os Direito Humanos jamais se manifestam. Entretanto, se morre um vagabundo, viciado, traficante, ladrão ou assassino, esse logo vira estudante, e o policial bandido fardado. Os Direitos Humanos se põem na defesa do ‘ser humano’, o povo julga a polícia e os juízes batem em seus birôs e proferem falas do alto de suas magistraturas impecavelmente incorruptíveis e condenam a instituição à desmoralização.

Quinta e última razão (para não entristecer mais): a valorização. Quanto vale a vida de um juiz? A de um professor? Quanto vale a de um trabalhador da indústria petrolífera, que corre perigo constante de acidente? Quanto valem a saúde e a vida de quem trabalha com radiação e outros produtos químicos? Quanto vale a vida de um político, de um gerente de banco? E a de um policial militar? É certo que definir valor para a vida de quem quer que seja é impossível. É certo também que cada um tem sua parcela de colaboração na construção de uma sociedade justa e ambiente habitável. Mas, o que justifica um juiz ganhar infinitamente mais que um professor? A partir desse questionamento surgirão muitas respostas nas cabeças de todos, que se explicarão com base em fatores como formação, cargo, investimento e etc. Mas, o que justifica tal disparidade? Um juiz é graduado, é doutor, estuda muito e sua educação escolástica teve origem numa escola, reduto do professor, que também é graduado, doutor, estuda muito, lida na relação interpessoal com o alunado e forma cidadãos. O que o faz inferior? Por que um professor pós-doutor (e que forma juizes) não ganha metade do que um juiz?

No juramento de formatura da polícia, o agente diz defender a sociedade ainda que com o sacrifício da própria vida. Quanto vale esse sacrifício? Um juiz se sacrificaria pelo salário que ganha? E os políticos, se tivessem que morrer em nome do benefício popular, assim o fariam? A valorização da força policial tem que começar na própria instituição, o comando tem que se ater a PESSOA do militar e não com o vinco da farda ou a cobertura. Isso é secundário. A valorização pelo estado e pela justiça é utópica, mas seria a ideal. O povo? Esse nunca vai valorizar quem o reprime. Se alguém invade sua privacidade, logo pensa na ajuda policial; a polícia – nesse instante – é tudo que ela mais precisava. Se protesta, e o governo convoca a polícia; aí o diabo vira anjo e os praças, diabos. E se tornam as mais repugnantes criaturas do mundo. Em suma, o serviço policial é em si contraditório e nunca se ajustarão as relações entre Estado, povo e polícia. A base da valorização do trabalhador é um bom salário, que faça valer o tempo e o esforço que dedica à prática laboral, no caso do policial, que faça valer o risco. Caso contrário, não é justo.

O que consola é que a fé e a esperança são bases da existência humana. E, queira ou não, o militar é HUMANO, escondido atrás de uma farda (indumentária institucional apenas), mas é humano e também as traz em si, e são elas que os faz continuar, ainda que com todos os impedimentos. E tais virtudes fazem o militar crer que alguém, algum dia, vai ter uma luz e acordar para a sua situação e mudar tudo, para melhor. E ninguém mais vai ter razão para detestar ser da Briosa.

FONTE: SER POLICIAL É UMA ARTE

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Um minuto de silêncio pela morte do policial militar


HOJE, às 14:30h faremos um minuto de silêncio pela morte do policial militar BRUNO DE CASTRO FERREIRA que morreu em defesa da população!
Local: Av. Rio Branco esquina com Rua Sete de Setembro

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

ERVA MALDITA NÃO É APROVADA NEM NA CALIFÓRNIA

Os californianos rejeitaram em plebiscito a legalização da maconha no estado, segundo projeções da emissora CNN. Se aprovada, a chamada Iniciativa 19 faria da Califórnia, que já autoriza o uso medicinal da planta, o primeiro estado americano a permitir a posse.

A proposta legalizaria a posse de até 28,5 gramas para maiores de 21 anos; seu uso em local privado; em local público, desde que licenciado para isso; e o cultivo residencial num espaço de até 2,3 metros quadrados.

Ao mesmo tempo, permitiria ao estado e prefeituras regulamentarem e controlarem as atividades de cultivadores de maior porte, incluindo a fiscalização e a tributação no comércio. Hoje, a maconha já é vendida para consumo medicinal em centenas de dispensários credenciados na Califórnia.

Há diversos argumentos contra e a favor, mas poucos realmente factuais. O Public Safety First, principal grupo de oposição à medida, alega que o perigo no trânsito aumentaria e o ambiente nas escolas e empresas seria contaminado pela utilização indiscriminada da maconha - embora motoristas continuem não podendo dirigir sob seu efeito, e as leis e regras que estipulam ambientes livres de drogas (seja álcool, cigarro ou drogas) continuem em prática.

Os grupos a favor oferecem argumentos mais concretos, mas que também não se sustentam totalmente numa análise mais profunda. Sugerem que a iniciativa criaria uma indústria de peso, cuja tributação ajudaria a equilibrar o orçamento do estado.

O déficit da Califórnia chega a US$ 20 bilhões por ano. Na melhor das hipóteses, com uma indústria e comércio maduros, as receitas tributárias não bateriam US$ 200 milhões anuais.

sábado, 30 de outubro de 2010

Hospital Estadual Pedro II

Funcionários do Hospital Estadual Pedro II, em Santa Cruz pedem que as investigações sobre as causas do incêndio sejam plenamente esclarecidas, pois alguns consideram que a origem pode ter sido criminosa, viabilizando o fim do hospital. o governo está removendo os profissionais de saúde para outros hospitais e está retirando os equipamentos. Assim sendo, a cada dia que passa o fim do hospital está mais próximo!
O Deputado Paulo Ramos, convocou o secretário de saúde Sérgio Côrtes para prestar esclarecimentos sobre as condições de trabalho dos servidores em decorrência do incêndio. A reunião está marcada para dia 04/11 às 13:30H na sala 311 – Palácio Tiradentes.

E o Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande está sofrendo com a superlotação desde o fechamento do Hospital Pedro II.

Funcionários e a população local fizeram uma manifestação dia 28.




Leia: Dia 29/10 - Incêndio atinge prédio do Iaserj no Centro

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Câmera do circuito interno de uma farmácia mostra o pânico de pessoas que tentavam fugir de tiroteio

Tudo começou quando dois homens roubaram um carro Honda Civic e o tiroteio foi entre os bairros da Lagoa Rodrigo de Freitas e Humaitá.


sábado, 23 de outubro de 2010

Duas pessoas morrem ao entrar por engano em favela no Rio

Um policial militar e o amigo dele morreram depois que entraram por engano de carro na Favela Acari, na zona norte do Rio, na madrugada de hoje. De acordo com a versão de sobreviventes, dois policiais militares à paisana acompanhados por dois amigos saíram de uma casa de shows na Baixada Fluminense e erraram o caminho.

Baleados, o cabo Carlos Luiz, do 6º Batalhão de Polícia Militar da Tijuca, o office boy Diego Alves de Araújo, de 26, morreram na hora. Eduardo Guimarães Monteiro, 27 anos, lotado no 15º Batalhão de Polícia Militar de Duque de Caxias, fugiu mesmo ferido. Ele foi levado ferido para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde foi operado. Adriano Carvalho de Araújo, de 27, outro amigo que acompanhava os policiais, também foi atendido. O carro usado por eles ficou crivado por marcas de tiros.

FONTE: ÚLTIMO SEGUNDO

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

INCÊNDIO NO HOSPITAL PEDRO II

"É VERGOHOSO VER A POPULAÇÃO SER ENGANADA MAIS UMA VEZ PELA SECRETARIA DE SAÚDE, DIZENDO QUE ESTÁ TUDO BEM... A UNIDADE NÃO TEM BRIGADA DE INCÊNDIO, AS ESCADAS DE EMERGÊNCIA ESTÃO CHEIAS DE ENTULHOS E NÃO HÁ LUZES E EMERGÊNCIA. HOJE FOI UM CAOS, MAS FELIZMENTE CONSEGUIMOS SAIR SEM FREIMENTOS GRAVES, JÁ QUE TIVEMOS QUE QUEBRAS VIDROS POIS ALGUMAS JANELAS NÃO ABREM, ACHO QUE JÁ ESTÁ MAIS DO QUE NA HORA DO DIRETOR DA UNIDADE PEDIR DEMISSÃO. VAMOS VER SE DESSA VEZ TEREMOS UM GESTOR QUE UTILIZE A VERBA TRIMESTRAL QUE A UNIDADE RECEBE, DE FORMA CORRETA. A PRIORI, SUGERIMOS UMA CONSULTORIA COM TECNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO, JÁ QUE A UNIDADE NÃO POSSUI SINALIZAÇÃO CORRETA NAS SAÍDAS DE EMERGÊNCIA E SE POSSÍVEL NÃO DEIXAR ENTULHOS NAS ESCADAS O QUE SÓ CONTRIBUIU PARA AUMENTAR O CAOS. GENTE, VAMOS COMEÇAR A COBRAR O NOSSO DINHEIRO AOS NOSSOS GOVERNANTES. HOJE FOMOS NÓS QUEM PASSAMOS POR ISSO, AMANHÃ PODERÁ SER UM DE VOCÊS".

FUNCIONÁRIO DA UNIDADE


PÂNICO

"Segundo o subsecretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Coelho, com medo do incêndio, uma enfermeira que estava no 2º andar do prédio se jogou pela janela. Com uma fratura, ela foi levada para o Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, também Zona Oeste, e, de lá, será transferida para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, no Centro".


"Ainda segundo a secretaria, o incêndio teve início por volta das 11h30, e foi controlado por bombeiros em 30 minutos. Não houve feridos".

sábado, 9 de outubro de 2010

“Em defesa da família e da preservação da espécie humana, Deus fez macho e fêmea (Gen. 1.27)”

Enfurecidos com a apologia à família feita pelo pastor Silas Malafaia, em 600 outdoors espalhados pelo Rio de Janeiro e região metropolitana, cerca de 30 homossexuais partiram para a INTOLERÂNCIA, expressando seu ÓDIO, e estão manchando dezenas de outdoors, no município de São Gonçalo, no Rio de Janeiro.

Os revoltosos estão alegando que as mensagens são preconceituosas e estimulam a violência contra os gays.


terça-feira, 5 de outubro de 2010

Marcelo Freixo diz que novo mandato foi 'uma votação de opinião'


Sidney Rezende entrevista o
Deputado Estadual Marcelo Freixo do PSOL


Um dos recordistas de voto na eleição para deputado estadual, Marcelo Freixo (PSOL) falou ao SRZD sobre o sentimento de conquistar um novo mandato e sobre o futuro da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Ele obteve 177.253 votos, ficando atrás apenas de Wagner Montes (PDT). Militante pelos direitos humanos e conhecido por sua atuação na CPI das Milícias, Freixo avaliou o resultado eleitoral:

"Isso expressa a concordância que a população teve com relação ao 1º mandato. Foi uma votação de opinião. Não tivemos uma campanha baseada em marketing nem militância paga. Vamos continuar com a ênfase dos direitos humanos e educação", declarou.

Sobre a futura legislatura, Freixo acredita que a base de apoio ao governador reeleito Sérgio Cabral (PMDB) vai ficar reduzida, embora ainda esteja analisando quem serão os novatos na Casa.

"Fiquei feliz com a reeleição de nomes com quem eu convivi e aprendi a respeitar, como os deputados Luiz Paulo (PSDB), Cidinha Campos e Paulo Ramos (ambos do PDT) Ainda estou analisando a nova composição, mas creio que Cabral vai ter uma base oposição maior na Alerj. Resta saber se vai ser com mais ou menos ênfase".

A respeito de quem pode ser o futuro presidente da Casa, o parlamentar socialista faz suposição entre três nomes: "Tem o Paulo Melo, Domingos Brazão e Edson Albertassi (PMDB). Mas o principal é saber qual vai ser o grau de independência, de autonomia da relação entre o Legislativo e o Executivo", completou.

SRZD

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

PMDB perde sete na ALERJ

O governador reeleito do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), precisará contar com aliados de outros partidos na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), já que seu partido despencou de 19 para 12 deputados estaduais, dentre o total de 70 parlamentares da casa.

Contando os 16 partidos que apoiaram a reeleição do governador, na coligação "Juntos Pelo Rio", Cabral teria 46 deputados em sua base, um a menos para ter dois terços da Alerj. No entanto, a conta não é tão simples, já que há deputados da coligação que não o apoiam, assim como há membros de partidos adversários que são seus aliados pessoais.

No primeiro grupo, de coligados com os quais Cabral não deve poder contar, estão, por exemplo, Paulo Ramos, que sempre se opôs ao atual governo e defendeu candidatura própria do PDT até a convenção do partido, Gilberto Palmares (PT), que presidiu a CPI das Barcas Rio-Niterói e foi crítico permanente da política estadual de transportes, e Flávio Bolsonaro (PP), ligado às causas militares como o pai, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP).

Entre os apoiadores de fora do PMDB, mas dentro da coligação "Juntos Pelo Rio", destacam-se dois deputados eleitos pelo PMN: Alessandro Calazans e Christino Áureo, este último ex-secretário de Agricultura de Sérgio Cabral.

Vem de fora da coligação, entretanto, um dos principais apoiadores de Cabral: reeleito pelo PPS, André Correa foi, em 2006, um dos coordenadores de campanha da juíza Denise Frossard, adversária do atual governador no segundo turno. Correa acabou se aliando ao governo por intermédio do presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB) - terceiro colocado na eleição para o Senado.

Após participar de diversas cerimônias oficiais, como inaugurações de UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), Correa trabalhou diretamente como cabo eleitoral do governador, em eventos como o Rio Pela Moda, promovido no Jockey Clube Brasileiro por empresários do setor.

Durante o evento, Correa lembrou que ele e Cabral estiveram em lados opostos em 2006, mas que neste ano iria contrariar a decisão de seu partido de apoiar Fernando Gabeira (PV).

PDT pode ser fiel da balança na base governista
Puxada pelo apresentador de TV Wagner Montes, deputado estadual mais votado no Rio, com 528 mil votos (6,38% do total), o PDT teve o maior crescimento de bancada na Alerj, passando de seis para 11 deputados estaduais e pode se tornar o fiel da balança.

Com votações expressivas de Clarissa Garotinho, filha do ex-governador Anthony Garotinho, e de Samuel Malafaia, irmão do pastor evangélico Silas Malafaia, o PR também aumentou, de seis para oito, sua bancada, enquanto o PT passou de cinco para seis deputados estaduais.

Na oposição, o PSDB caiu de cinco para quatro e o DEM, de três para uma deputada estadual: Graça Pereira, na prática, do partido de seu marido, Jorge Pereira, vereador há quatro mandatos na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, atualmente no PT do B. Para se ter uma idéia, Jimmy Pereira, filho do casal, tentou uma vaga de deputado federal por um terceiro partido, PRTB, apoiando ativamente a reeleição de Cabral.

O PV, que não tinha nenhum deputado na Alerj, elegeu dois: Aspásia Camargo e Xandrinho. Segundo mais votado, com 177 mil eleitores (2,14% do total), Marcelo Freixo conseguiu puxar Janira Rocha, aumentando de um para dois a bancada do PSOL.

Confira os deputados estaduais eleitos no Rio de Janeiro

1 º Wagner Montes PDT 6,4% 528.628
2 º Marcelo Freixo PSOL 2,1% 177.253
3 º Samuel Malafaia PR 1,6% 134.515
4 º Paulo Melo PMDB 1,5% 121.684
5 º Clarissa Garotinho PR 1,4% 118.863
6 º Alexandre Correa PRB 1,4% 112.676
7 º Pedro Augusto PMDB 1,3% 111.407
8 º Rafael Picciani PMDB 1,2% 96.034
9 º Domingos Brazão PMDB 1,1% 91.774
10 º Cidinha Campos PDT 1,1% 89.553
11 º Carlos Minc PT 1,1% 87.210
12 º Edson Albertassi PMDB 1,0% 83.254
13 º Edino Fonseca PR 0,9% 77.061
14 º Dionisio Lins PP 0,9% 75.707
15 º Christino Áureo PMN 0,9% 74.336
16 º Pedro Fernandes PMDB 0,8% 69.571
17 º Lucinha PSDB 0,8% 67.035
18 º Andreia do Charlinho PDT 0,8% 62.599
19 º Sabino PSC 0,8% 62.522
20 º Graça PMDB 0,7% 61.294
21 º Dica PMDB 0,7% 59.220
22 º Flavio Bolsonaro PP 0,7% 58.322
23 º Rafael do Gordo PSB 0,7% 55.831
24 º Andre Correa PPS 0,7% 55.484
25 º Marcio Panisset PDT 0,7% 55.027
26 º Marcos Abrahao PT do B 0,6% 52.525
27 º Marcos Soares PDT 0,6% 52.099
28 º André Lazaroni PMDB 0,6% 49.839
29 º Fabio Silva PR 0,6% 47.939
30 º Comte PPS 0,5% 45.541
31 º Marcelo Simão PSB 0,5% 45.046
32 º Alessandro Calazans PMN 0,5% 44.549
33 º Miguel Jeovani PR 0,5% 44.135
34 º Gustavo Tutuca PSB 0,5% 44.015
35 º Bernardo Rossi PMDB 0,5% 43.607
36 º Rogerio Cabral PSB 0,5% 43.215
37 º Iranildo Campos PR 0,5% 42.398
38 º Chiquinho da Mangueira PMDB 0,5% 39.740
39 º Roberto Dinamite PMDB 0,5% 39.730
40 º Marcio Pacheco PSC 0,5% 39.537
41 º Paulo Ramos PDT 0,5% 39.023
42 º Rodrigo Neves PT 0,5% 38.856
43 º Coronel Jairo PSC 0,5% 38.791
44 º Graca Pereira DEM 0,5% 38.746
45 º Ricardo Abrao PDT 0,5% 37.742
46 º Gilberto Palmares PT 0,4% 36.519
47 º Marcus Vinicius - Neskau PTB 0,4% 35.508
48 º Altineu Cortes PR 0,4% 35.176
49 º Gerson Bergher PSDB 0,4% 35.069
50 º Waguinho Sempre Juntos PRTB 0,4% 34.820
51 º Aspasia PV 0,4% 34.733
52 º Luiz Paulo PSDB 0,4% 34.502
53 º Claise Maria Zito PSDB 0,4% 33.664
54 º Joao Peixoto PSDC 0,4% 33.203
55 º Felipe Peixoto PDT 0,4% 32.855
56 º Samuquinha PR 0,4% 32.563
57 º Roberto Henriques PR 0,4% 32.369
58 º Salomão PT 0,4% 31.249
59 º Zaqueu PT 0,4% 30.583
60 º Inês Pandeló PT 0,3% 28.798
61 º Jose Luiz Nanci PPS 0,3% 28.798
62 º Bebeto Tetra PDT 0,3% 28.328
63 º Luiz Martins PDT 0,3% 26.002
64 º Myrian Rios PDT 0,3% 22.169
65 º Geraldo Moreira PTN 0,3% 21.987
66 º Enfª Rejane PC do B 0,3% 21.033
67 º Thiago Pampolha PRP 0,2% 19.329
68 º Xandrinho PV 0,2% 16.151
69 º Rosangela Gomes PRB 0,1% 10.586
70 º Janira Rocha PSOL 0,1% 6.442

sábado, 2 de outubro de 2010

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

POLÍCIA FEDERAL investiga compra de votos com cestas básicas no DISTRITO FEDERAL

A Polícia Federal apreendeu na tarde desta sexta-feira cerca de 2 mil cestas básicas num galpão da Administração Regional de Planaltina, órgão vinculado ao Distrito Federal, por suspeita de que o material seria usado para compra de votos. A corporação agora investiga a origem do material, descarregado nesta quinta-feira no local.

No esquema de loteamento de cargos do governo local, a Administração Regional de Planaltina – uma espécie de subprefeitura – é controlada por aliados do deputado distrital Aylton Gomes (PR), que pertence ao grupo do ex-governador Joaquim Roriz. Ninguém foi preso na operação. A Polícia Federal vai comunicar o fato ao Ministério Público Eleitoral, e deve ouvir funcionários da administração nos próximos dias. A corporação chegou ao galpão depois de uma denúncia anônima.

A Administração Regional nega que as cestas básicas fossem usadas para a compra de votos. De acordo com a coordenadoria de ação social do órgão, o material ainda precisa ser identificado e cadastrado antes da distribuição, o que só vai ocorrer daqui aproximadamente 10 dias.

Candidato à releição, Aylton Gomes é um dos parlamentares citados na Operação Caixa de Pandora como beneficiário do esquema de propina que derrubou o então governador José Roberto Arruda. Apesar das acusações, o parlamentar se livrou da cassação. A assessoria do deputado distrital nega que ele tenha relação com o episódio, atribuiu a denúncia a adversários políticos e afirma que o processo de compra das cestas básicas teve início cinco meses atrás.


FONTE

E se a eleição fosse na internet?

Se pudéssemos contar os votos na internet com base nos seguidores dos quatro principais candidatos a presidência do Brasil, Marina Silva do PV levaria fácil esta disputa. Pode parecer incoerente, já que a candidata é a terceira colocada, muito distante de José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), mas próxima de Plínio Arruda (PSOL).

As redes sociais que olhamos para realizar a pesquisa foram: Twitter, Youtube, Facebook e Orkut. No Orkut e Facebook, a presença de Marina é substancialmente maior do que a dos outros candidatos. No Orkut, há 46.584 seguidores de Marina, 9.076 de Dilma, 4.560 de Plínio e apenas 976 para Serra. Já no Facebook a coisa muda um pouco, pois há 41.977 seguidores de Marina, 17.218 de Serra, 6.886 para Dilma e 1.048 para Plínio (nesta rede não há perfil oficial de campanha para o candidato Plínio Arruda).

No twitter Serra toma a liderança com 455.186 pessoas em seu perfil (@joseserra_), Marina tem 244.057 (@silva_marina), Dilma com 235.519 (@dilmabr) e Plíno tem 41.064 seguidores (@pliniodearruda). Finalmente no Youtube os candidatos se aproximam, Marina tem 84.143, Dilma tem 73.223, Plínio 31.197 e Serra aparece com 31.005 seguidores.

A revista Veja publicou um interessante infográfico que mostra a evolução dos candidatos dentro do Twitter, para ver clique aqui.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Horário eleitoral no Rádio e na TV termina quinta-feira (30)


Chatice para uns, oportunidades e críticas para outros. O fato é que a propaganda gratuita no rádio e na televisão termina na quinta-feira dia 30, em obediência ao calendário eleitoral de 2010.

A data também é prazo limite para realização de debates entre candidatos, comícios, reuniões públicas e utilização de aparelhagem de som fixa entre 8h e 24h.

Na sexta-feira dia 1/10 finda o prazo para a divulgação de propaganda paga na mídia impressa, bem como a reprodução na internet do jornal impresso nos sites de candidatos.

Na véspera da votação (2) é o último dia para veicular propaganda eleitoral mediante alto-falantes ou amplificadores de som entre as 8h e 22h. Também expira o prazo de distribuição de material gráfico, bem como a promoção de caminhada, carreata, passeata ou carro de som que circule pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos até as 22h.


NO FIM DA CAMPANHA, O APELO VIA TELEFONE.

Na reta final de campanha para as eleições de domingo, as mensagens gravadas e transmitidas aos eleitores por telefones fixos e móveis devem disparar. As operadoras informam que a procura de candidatos por este tipo de serviço quadruplicou no último mês. Com um custo de R$ 0,10 por ligação, as empresas oferecem serviços que fazem até 500 mil ligações por dia. E não adianta o eleitor reclamar. A Legislação Eleitoral garante que é livre o envio de mensagens eletrônicas, por qualquer meio, estabelecendo apenas que o serviço deve dispor de mecanismo que permita ao destinatário pedir o descadastramento de seu número.
(O Globo Online)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Comandante do BEP é exonerado

O comandante do Batalhão Especial Prisional (BEP), tenente-coronel Carlos Eduardo Ribeiro e Souza foi exonerado pelo comandante-geral da PM, Mário Sérgio Duarte. Ele vai ser substituído pelo tenente-coronel Wolney Dias Ferreira, que assume o cargo amahã. A troca de comando do BEP é consequência da fuga de dois ex-PMs, Wellington Vaz de Oliveira, e José Carlos da Silva.

LEIA: Pela porta da frente

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

EX FUNCIONÁRIOS DO BANERJ ALERTAM PARA AS ELEIÇÕES DE 2010


Caros colegas, as eleições estão se aproximando e queremos lembrar os nomes dos Deputados votantes em nossa última causa, para sua análise:

Votaram contra nós: Alessandro Calazans, Anabel, André do PV, Aparecida Gama, Armando José, Chiquinho da Mangueira, Coronel Jairo, Domingos Brazão, Edson Albertassi, Graça Matos, Iranildo Campos, João Pedro, João Peixoto, Jorge Babu, Jorge Picciani, José Nader, José Távora, Luiz Paulo, Marcelo Simão, Marco Figueiredo, Marcus Vinicius, Natalino, Paulo Melo, Pedro Augusto, Pedro Paulo, Roberto Dinamite.


Votaram a nosso favor: Alessandro Molon, Cidinha Campos, Comte Bittencourt, Dr. Alcides Rolim, Flavio Bolsonaro, Inês Pandeló, Marcelo Freixo, Wagner Montes, Paulos Ramos

Vale ressaltar a atuação do ilustre Deputado Marcelo Cerqueira, que hoje é candidato a SENADOR, e toda sua garra em defesa do BANERJ e seus funcionários.

AFBER


terça-feira, 21 de setembro de 2010

Passageiros disseram que o motorista perdeu o controle do veículo ao dar o troco para uma pessoa.

Um ônibus perdeu o controle e bateu em dois postes, no entroncamento da estrada da Matriz e a avenida das Américas em Pedra de Guaratiba.
Vale a pena lembrar que o Deputado Estadual Paulo Ramos preocupado com a dupla função de motorista / cobrador criou o PROJETO DE LEI nº 50/2007. O projeto foi votado em 1ª discussão, mas não volta ao plenário para aprovação definitiva por força dos donos de empresas de onibus.


PROJETO DE LEI Nº 50 / 2007

Babu é condenado a sete anos de prisão por envolvimento com milícia

JORGE BABU foi condenado em um segundo julgamento realizado nesta segunda-feira no Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio a sete anos de prisão por formação de quadrilha armada e envolvimento com milicianos da zona oeste. No entanto, obedecendo ao Código Eleitoral, como está em campanha, Babu não pode ser preso. Caso não seja eleito, terá mandado de prisão expedido pela Justiça dia 1ª de janeiro.

sábado, 18 de setembro de 2010

Rio já tem 84 PMs mortos em 2010. São quase 10 por mês

Oitenta e quatro policiais militares, a serviço ou de folga, já foram mortos este ano, média dequase 10 por mês. Uma estatística que foi aumentada, ontem. Curiosamente,no mesmo dia em queo secretário de Segurança Pública, Beltrame, inaugurava a Unidade de Polícia Pacificadora,no Morro do Salgueiro.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

POLICIAL MILITAR MORRE EM CONFRONTO

Seis pessoas morreram na comunidade da Mangueirinha,  em Duque de Caxias,  durante operação de policiais militares de todos os batalhões da Baixada, na tarde desta quarta-feira.

Segundo o comandante do 15°BPM o tenente-coronel Sérgio Mendes, entre os mortos estão cinco pessoas apontadas por terem envolvimento com o tráfico de drogas e um policial militar que participou da operação, identificado como cabo Cruz.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

MEU DEPUTADO ESTADUAL É PAULO RAMOS!



Na Assembléia Legislativa foram várias demandas atendidas, distribuídos por meio de emendas, indicações de obras e serviços e leis apresentadas, beneficiando toda população do Rio de Janeiro.
Defensor das causas sociais, sonha com um futuro melhor e numa luta incansável sempre esteve ao lado dos trabalhadores, principalmente dos SERVIDORES DO ESTADO!
Deputado Atuante, sempre participou das manifestações do MUSPE - Movimento Unificado do Servidor Público Estadual, que engloba a SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA. Você servidor que sempre participou das manifestações, viu com seus próprios olhos a presença do DEPUTADO PAULO RAMOS do seu lado!.
Você servidor que participou das audiências públicas na ALERJ, presenciou a brilhante atuação do DEPUTADO PAULO RAMOS nas votações e negociações das propostas de reajustes salariais de diversas categorias dos servidores estaduais.
O DEPUTADO PAULO RAMOS, nunca se calou, defendendo o pessoal da saúde, da educação e os profissionais da segurança pública.
Agora é a vez de você SERVIDOR ESTADUAL e toda população do Rio de Janeiro retribuir nas urnas, dando o seu voto para quem merece!

DEPUTADO ESTADUAL PAULO RAMOS - 12345 - PDT

Cel Suarez David é denunciado

sábado, 4 de setembro de 2010

UPPs desfalcam a segurança dos bairros do Rio

O Estado do Rio, ao introduzir as UPPs (unidades de polícia pacificadora) em algumas favelas, estimulou convergências de opinião. Afinal, a dualidade de Estado na área de justiça e segurança e a ruptura do monopólio do uso da força, pilar do Estado de Direito, são inadmissíveis.
O ano eleitoral terminou servindo de palco para que as UPPs servissem de estandarte para a própria eleição presidencial. Por isso mesmo é necessária uma análise mais cuidadosa não dos méritos, mas do alcance da iniciativa.
Aqui se destacam dois pontos: o objeto e a expansão. O objeto das UPPs não é combater o tráfico de drogas no varejo das favelas, mas levar os traficantes a abandonarem algumas dessas áreas, retomando, assim, o monopólio estatal do uso da força.
A expansão do programa deve ser analisada com base nas ocupações ocorridas até aqui nas favelas da zona sul do Rio, onde o tempo de permanência é maior. São favelas de porte médio-pequeno, com 4.000 a 5.000 habitantes. A ocupação é feita com efetivo de 150 policiais militares, numa relação de uns 30 habitantes por policial.
No caso dos bairros, essa relação é de 1.000 habitantes por policial. Um batalhão tem 400 policiais militares para 400 mil habitantes. Na zona norte, a mais violenta da capital, essa relação é de 2.120 habitantes por policial. Aquela relação de 30 impediria a universalização do programa, pois o efetivo da PM teria que ser triplicado. Portanto, a expansão depende de ir alterando a escala, para que não fique apenas nos bairros de renda mais alta.
O episódio recente na Rocinha/São Conrado é bem elucidativo. Todas as favelas da zona sul com UPPs eram controladas pelo Comando Vermelho. As maiores (Rocinha e Vidigal) são pela ADA (Amigos dos Amigos). Com isso a ADA passou a ter o monopólio da venda de drogas no atraente mercado da zona sul. E assim seu poder financeiro e bélico aumentou muito.
Os efetivos filmados no episódio constituíam um batalhão uniformizado de preto. Lá, o "exército" armado e uniformizado já tem 400 homens.
As elogiáveis UPPs devem ser entendidas como um vetor de intervenção, e nunca como política de segurança pública. E assim mesmo deve-se planejar a escala para que não seja só laboratório para divulgação. Afinal, elas entraram numa região da cidade onde a taxa de homicídios, de 8 por 100 mil habitantes, é apenas 20% da média da capital.

CÉSAR MAIA – Folha de São Paulo ( opinião )
cesar.maia@uol.com.br

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Candidatos usam estruturas da Alerj e da Câmara do Rio

A campanha eleitoral não ganhou somente as ruas. Candidatos às eleições proporcionais estão utilizando as estruturas da Assembleia Legislativa (Alerj) e da Câmara Municipal do Rio para conquistar votos. Parlamentares transformaram seus gabinetes em comitês improvisados, onde há material de divulgação. Já através dos telefones das Casas é possível solicitar panfletos e adesivos. Ao acessar os sites da Alerj e da Câmara, o eleitor ainda encontra os endereços das páginas pessoais dos políticos na internet, com os números de votação e promessas de projetos.

Segundo a procuradora eleitoral do Rio, Silvana Batini, a utilização da estrutura das Casas Legislativas - como estocar material de campanha nos gabinetes, aproveitar funcionários e usar telefones - em favor dos candidatos não é permitida:

Propaganda no gabinete do ex-ministro Carlos Minc (PT). O material fica à disposição de visitantes. Assessores também circulam com a publicidade do petista ao lado do presidente Lula, do governador Sérgio Cabral (PMDB) e da presidenciável Dilma Rousseff (PT).

LEIA A REPORTAGEM

Cumprimento de metas dá prêmio a 18.815 policiais do Rio

Foto: Alessandro Costa / Agência O Dia

Um total de 18.815 policiais - 2.700 civis e 16.115 militares - e agentes de três unidades especializadas foram premiados com gratificações que variam de R$ 500 a R$ 1.500 pelo cumprimento das metas estabelecidas pela Secretaria de Estado de Segurança, através do Sistema de Metas e Acompanhamento de Resultados (SIM), de redução dos índices de criminalidade no estado. A solenidade, com a presença do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, foi realizada nesta quarta-feira (1/9), no Teatro João Caetano, no Centro do Rio.

A gratificação total de R$ 11,7 milhões - R$ 9,95 milhões para policiais militares e R$ 1,77 milhão para civis - será depositada na próxima semana e contempla os policiais que mais contribuíram para a redução dos indicadores estratégicos - homicídio doloso, latrocínio, roubo de veículo e roubo de rua, incluindo roubo de celular, a transeunte e coletivos, em comparação com o semestre anterior, de julho e dezembro de 2009.

Para o secretário José Mariano Beltrame, a gratificação dos policiais nada mais é que o reconhecimento do Estado pelo trabalho que vem realizando, juntos, em favor da segurança pública.

- A sociedade hoje quer atitude, ações. Hoje não há mais espaço para ganhar na conversa - observou Beltrame, destacando o trabalho de integração das duas instituições, a Polícia Civil e a Polícia Militar.

Para o secretário, a integração passa exatamente pelo estabelecimento técnico da conduta de cada corporação. Desta forma, acrescenta Beltrame, vai ficar claro, nítido para a sociedade, qual o papel de cada uma das instituições.

- É a vez e a hora de as polícias civil e militar fazerem o seu papel. Lá na frente essas ações vão se encontrar. É importante que se pare de apontar as diferenças e enxerguemos as igualdades, porque polícia é uma só. Vamos enxergar e focar nas nossas igualdades, já que as diferenças muita gente faz por nós - desabafou o secretário, ao defender o trabalho conjunto e integrado das polícias Civil e Militar.

O chefe de Polícia Civil, delegado Allan Turnowski, e o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Mario Sérgio Brito, também destacaram a integração entre as polícias como principal fator para o sucesso do programa de segurança e os excelentes resultados que vêm sendo alcançados pelas Regiões Integradas de Segurança Pública, em especial a 2ª RISP (Metropolitana e Zona Oeste), que registrou os melhores índices neste segundo ciclo semestral, e as Áreas Integradas de Segurança Pública (AISPs), com seus respectivos batalhões e delegacias de polícia.

Tanto o delegado Turnowski quanto o coronel Mário Sérgio lembraram que o sucesso passa, necessariamente, pela integração de ambas as instituições e o respeito às competências e autonomia de cada corporação em favor do interesse público e da paz social.

- Pela inovação de buscar a integração das policias, única maneira possível de conduzir qualquer programa de segurança e com respeito às autonomias, a Secretaria de Segurança deu um passo fundamental para o sucesso que está obtendo hoje no Rio de Janeiro. O sistema integrado de metas trouxe para a administração pública o que existe de mais moderno na iniciativa privada, e os resultados estão aí - observou o delegado.

Premiação por produtividade - nível RISP.