quarta-feira, 19 de outubro de 2016

"Juiz Fernando Cordioli Garcia" um exemplo de servidor da justiça



Boechat como sempre, com uma lucidez voraz e veraz, demonstra por A + B, que estamos vivendo o descrito por Machado de Assis em seu livro "O Alienista".
É brilhante e vibrante o Boechat, por que, de maneira clara e lúcida, nos mostra o que ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) aparenta ser maluquice, uma vez que 49 membros (de 62, vemos que apenas 13 juízes, não concordam que Cordioli esteja maluco) do CNJ concordara, que o Dr Fernando Cordioli Garcia tem seu caráter e conduta instável, o que justificaria o afastamento definitivo deste magistrado.

* Em 2012, Cordioli leiloou dois carros do prefeito do Município de Palmeira em praça pública. O dinheiro era para pagar condenação por desvio de dinheiro público. Um terceiro carro, no qual o prefeito tentava viajar para Florianópolis, foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal depois que o juiz mandou uma ordem por fax para o posto de patrulha. O prefeito ficou a pé no acostamento.

* Quando a polícia pedia a prisão de alguém, o juiz despachava a mão no próprio requerimento, poupando toda burocracia: “É um recurso que está no Código de Processo Penal desde 1940″, afirma.

* Depois que o MP se recusou a pagar peritos num processo contra outro ex-prefeito, o juiz pediu auxílio do 10º Batalhão de Engenharia do Exército para avaliar a casa do réu. Um destacamento cercou a casa, fotografou tudo e a avaliou em R$ 500 mil. Em seguida, quando estava prestes a transformar a residência num abrigo municipal para órfãos, Cordioli foi afastado.

- Numa ação ambiental, o juiz determinou à Fundação de Amparo ao Meio Ambiente que derrubasse a casa de um vereador erguida em área de preservação. Como a ordem judicial não foi cumprida, Cordioli fez o serviço ele mesmo, com a ajuda de um operário.

* Descontente em ver condenados a penas alternativas não cumprirem suas sentenças, o juiz exigiu que todos fossem ao quartel da PM às 9h, todos os sábados. Recebia o pessoal de pá na mão e comandava operações tapa-buracos nas ruas de Otacílio Costa.

* O juiz andava de bicicleta na cidade. Certa vez, visitou um desembargador vestindo jaqueta de couro e com barba por fazer.

* Nas audiências criminais preliminares ele soltava pessoas que sabia que enfrentariam longas batalhas judiciais por coisas insignificantes.

* Um homem rico era acusado de crime ambiental, porque podara uns pinheiros. O juiz concluiu que a denúncia fora perseguição política e o inocentou sob o argumento de que "podar árvores não é crime".

* No ano passado, Cordioli queixou-se de corrupção em Otacílio Costa ao governador Raimundo Colombo (PSD) e pediu intervenção no município.

* Para vereadores queixosos de postos de saúde sem médico e sem remédios, sugeriu que responsabilizassem o prefeito e os ensinou a como fazer um processo de impeachment.

Como bem o demonstra o nosso querido Boechat, os juízes que matam, roubam, e vendem sentenças, são os considerados corretos pela ótica do órgão CNJ. De minha parte, sugiro às Forças Armadas que intervenham imediatamente nesse órgão.

Um comentário:

Fernando disse...

Meu agradecimentos pela menção elogiosa. Muitos outros Magistrados pelo Brasil afora estão sofrendo perseguições terríveis tão-somente por tentarem cumprir seu papel com independência.