sexta-feira, 18 de março de 2011

Policial Militar tem surto de estresse em Santa Catarina e tira a roupa na rua

video

Era noite e um grupo de oito crianças e adolescentes estava na rua. De repente um morador irritado com o barulho chegou de carro. "Para o carro, chega um policial fardado, com a arma na mão, eram criança de 10, 11 anos, o maior tinha 12, no muro, chamando de vagabundo, ele queria até bater nas crianças", conta um morador.

Parte da cena foi gravada pelo pai de um dos jovens, mostra o policial fora de si e logo depois ele começa a tirar a roupa. “Vou tirar a farda aqui também, que eu não quero mais receber um salário miserável da polícia pra aguentar desafororo”, disse ele.

Segundo testemunhas, o pior não está gravado. Foi quando tudo começou por volta das sete da noite. Os moradores dizem que o policial militar chegou a atirar duas vezes em direção ao grupo e ainda obrigou um dos adolescentes a segurar a arma.

“Ele chegou, pediu pra atirar nele, falou que não quer mais trabalhar ali, até atirou na gente, ainda bem que não pegou", conta o adolescente.

O PM só se acalmou quando policiais, chamados pelos moradores, chegaram. A marca de um dos tiros está na calçada. Um dos jovens teve de receber atendimento médico. "Chamaram até o SAMU pra fazer o atendimento nele, porque tava chorando direto, ficou transtornado”.

O policial foi identificado. É o soldado Mario Caspechen, trabalha há 15 anos na corporação. Segundo o comando da PM, não é a primeira vez que ele tem esse tipo de problema. Chegou a passar por tratamento e depois disso foi considerado apto para o serviço. A polícia abriu inquérito para apurar o caso.

“Nesse primeiro momento ele foi afastado do serviço e vai ser encaminhado à junta médica em Florianópolis, que vai avaliar o que aconteceu com ele no dia de ontem, se teve um surto psicológico ou problema de stress”, diz Cel. Adilson Michelli, comandante 17° Batalhão PM/Joinville.

O excesso em servidores públicos vai desde advertência à demissão. Não existe padrão, mas ainda é cedo para julgar.

3 comentários:

Elias-pmerj disse...

A população deveria saber,que 85% dos policiais militares problemas de ordem psicologica.
No Rio de Janeiro,com a politica das gratificações somente para os aptos fisica e psicologicamente,muitos malucos foram tornados sãos e muitos aleijados,surdos e com outras molestias mais,vieram a aumentar o efetivo para utilização nas ruas.
Quem perde é a população que nada sabe e nem quer saber.Olhem o exemplo deste policial, que já apresentava problema e foi "curado" milagrosamente.Reflita sociedade,Policia BARATA e SAUDAVEL,só em sonho.

HOSPITAL ESTADUAL PEDRO II disse...

A SOCIEDADE CIVIL EXIGE A ABERTURA DA CPI SAÚDE, A DEVOLUÇÃO DO DINHEIRO PÚBLICO E PUNIÇÃO AOS CORRUPTOS.

Foi criada na Alerj, por iniciativa do DEPUTADO PAULO RAMOS (PDT) a Comissão Parlamentar de Inquérito ( CPI ), para investigar a situação da rede de saúde do Estado do Rio de Janeiro, as condições de trabalho dos seus profissionais, as contratações irregulares, o superfaturamento na compra de medicamentos e equipamentos e o derrame de remédios falsos e contrabandeados e vendidos por farmácias e possivelmente distribuídos por órgãos públicos.


"Clique no link abaixo"
http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/8448

Anônimo disse...

ATENÇÃO. VAMOS ESTUDAR PARA SAIR DESSA PM RIDÍCULA. QUANDO ALGUÉM TE DISSER QUE VAI FAZER PROVA PARA A PM NÃO PERMITA. FAÇA DE TUDO PARA MUDAR A CABEÇA DESSA PESSOA. A PM NÃO VALE O SERVIÇO, NÃO VALE O SALÁRIO, NÃO VALE A DISCRIMINAÇÃO. QUEM OLHA DE FORA TEM A IMPRESSÃO DE QUE A PM FUNCIONA. QUANDO A PM NÃO TIVER COMO AUMENTAR SEU EFETIVO OU COMEÇAR A ACEITAR AQUELES QUE MAL SABEM LER E ESCREVER, E COMEÇAR O ÍNFIMO PRESTÍGIO A SUMIR AÍ O GOVERNO QUEM SABE MUDA ALGUMA COISA. ENTÃO SÓ FAÇAM PROVA PARA A PM QUEM ESTIVER QUASE PASSANDO FOME POR DÁ PRA SOBREVIVER, SÓ ISSO. SE VOCÊ GOSTA DE SER POLICIAL, FAZ PROVA PARA A PF OU PRF. ESTUDEM E SAIAM DA PM PRAÇAS! NÃO EXISTE CORONEL SEM SOLDADO PRA COMANDAR!