sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

" QUANTO MAIS MEXE MAIS FEDE"

Rei dos computadores
Sócio de Picciani no mercado de gado domina venda de produtos de informática ao estado


Os investimentos em equipamentos de informática do governo estadual estão concentrados em uma empresa: a Investiplan Computadores e Sistemas. Pequena fornecedora no início da década, a Investiplan teve empenhado (reservado para pagamento) pelo estado, no ano passado, um valor 8.181% maior do que há cinco anos. Em 2003, os empenhos foram de R$ 808 mil. Em 2008, alcançaram R$ 66,9 milhões. No comando da empresa está Paulo Trindade, que em 2005 iniciou-se no mercado de gado de elite, comprando animais do presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), que também é pecuarista. Os dois tornaram-se sócios na compra e venda de alguns touros e promovem leilões juntos.
A partir do final de 2007, a aplicação de recursos em tecnologia ganhou força no governo, especialmente no setor de educação. A Investiplan venceu os principais contratos através de disputa em pregão eletrônico, sendo que o maior deles foi a compra de 31 mil notebooks para os professores ao custo de R$ 58,9 milhões. A relação da Investiplan com o estado começou em 2001, em um contrato de fornecimento de computadores para o Tribunal de Contas do Estado (TCE). De acordo com o órgão, a empresa "negligenciou a assistência técnica (...), gerando prejuízo ao bom andamento dos serviços". Por isso, segundo o órgão, ela foi punida em fevereiro de 2004 com uma multa de R$ 66,9 mil. Mas os contratos do governo estadual com a Investiplan não pararam de crescer.
Picciani afirmou que não tem qualquer influência sobre o Executivo estadual e que jamais falou com qualquer membro de comissões de licitação no estado.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/02/12/socio-de-picciani-no-mercado-de-gado-domina-venda-de-produtos-de-informatica-ao-estado-754390351.asp

11 comentários:

Anônimo disse...

O governador Sérgio Cabral vai passar mais uns dias em Paris, essa é a viagem numero????
perdí as contas

Anônimo disse...

Os laptops foram fabricados pela Positivo ou pela CCE, adquiridos via Investiplan - escolhida em licitação através de pregão eletrônico.

Anônimo disse...

Os computadores fabricados pela Positivo ou pela CCE custaram cerca de R$ 1.900 cada. A 3ª Promotoria de Justiça da Cidadania instaurou inquérito civil público para apurar possíveis irregularidades na compra. Existe ainda a suspeita de superfaturamento dos computadores!

julio disse...

Um notebook da Positivo custar R$ 1900,00 foi caro pacas, ainda mais sabendo que o governo comprou mais de 30000 equipamentos.
Olha a fonte do caixa 2 ai.

Anônimo disse...

PICCIANI REI DO GADO E CABRAL O REI DO SUPERFATURAMENTO

Anônimo disse...

Vc´s sabiam de quem é a construtora Oriente? Essa mesmo, que faz a maioria das obras para o Estado, que atua na regiao dos lagos, principalmente araruama e saquarema, q acabou de fazer o IML

A construtora pertece ao presidente do conselho de ética da Alerj, O DEP Paulo Melo,
Obras superfaturadas, só ganhas por auxilio de varios donos de empresas q entram na licitaçao dando cobertura a essa lavagem de dinheiro

Anônimo disse...

olha o caixa 2 aí gente!

Capela do Palácio Guanabara passará por obras recuperação

Anônimo disse...

Os desembargadores do Tribunal de Justiça do Espírito Santo Frederico Guilherme Pimentel (ex-presidente do tribunal), Elpídio José Duque e Josenider Varejão Tavares responderão a processo administrativo, por suspeita de envolvimento em crimes de venda de sentença, nepotismo e fraude em concurso público. Eles também foram acusados de integrar uma organização criminosa.

Anônimo disse...

INTERVENÇÃO FEDERAL NO RJ,OU ESSE MOLEQUE PINÓQUIO LEVARÁ O ESTADO A FALÊNCIA.

BirdBardo Blogger disse...

É Picciani e a casa caiu!Vai falar que não viu nada?

Anônimo disse...

A Polícia Federal indiciou, na quinta-feira, o ex-presidente do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ) José Graciosa por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e formação de quadrilha. Graciosa é um dos três conselheiros que estão sendo investigados pela Operação Pasárgada, da PF, que apura o envolvimento de prefeitos e juízes com fraudes cometidas no Rio e Minas Gerais.

Na quarta-feira, o delegado Mário Alexandre, coordenador da Pasárgada, indiciou o conselheiro José Leite Nader por corrupção passiva, advocacia administrativa e formação de quadrilha. Na próxima semana, o delegado deverá interrogar o conselheiro Jonas Lopes, que também está sendo investigado.