sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

QUE BOM SERIA SE TODOS OS DEPUTADOS PENSASSEM ASSIM!

Flávio Bolsonaro: Fogo no bombeiro

Deputado estadual pelo PP

A população do Rio mostrou uma de suas várias virtudes colaborando com enorme quantidade de donativos para as vítimas da catástrofe climática que atingiu o Noroeste Fluminense e o Estado de Santa Catarina, provocando, para muitos, a perda de tudo que construíram ao longo da vida e, o pior, entes queridos.A máxima de que uma imagem fala mais que mil palavras nem sempre é verdadeira. Você colocaria seu filho num carrinho de bebê que fora lavado por estar com fezes de pombos e morcegos? Usaria roupa íntima usada por alguém que você não conhece, sob o risco de contrair alguma doença? Sairia na rua com blusa rasgada ou um sapato sem sola para trabalhar?A incineração de parte das roupas em condições insalubres certamente foi a solução possível. Seria uma boa oportunidade de os bombeiros conscientizarem a população de que doar roupas e calçados não é fazer “limpeza no armário” e separar o que não serve mais. Poderia mostrar, inclusive à imprensa, que as condições de grande parte do que é doado, com toda afeição, carinho e solidariedade, poderia, na verdade, resultar em infecções ou redução da auto-estima das vítimas.Recuso-me a julgar um homem, no caso o coronel Souza Filho, por um ato isolado, mostrado de forma equivocada, e desconsiderar sua trajetória profissional, exemplar e íntegra, ao longo dos mais de 30 anos de serviços prestados, como bombeiro, aos cidadãos do Rio de Janeiro.Fica a lição de que o estado precisa se prevenir melhor para receber doações em casos de catástrofes, como, por exemplo, preparando locais adequados para triagem e armazenamento de material, de qualidade e do tamanho da solidariedade do povo fluminense.
http://odia.terra.com.br/opiniao/htm/flavio_bolsonaro_fogo_no_bombeiro_228124.asp

5 comentários:

Anônimo disse...

AS MULTAS QUE SERGIO CABRAL RECEBEU E SOMOU 34 PONTOS NA CARTEIRA NACIONAL DE HABILITAÇAO.
Sérgio Cabral já soma 34 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e não teve seu direito de dirigir suspenso pelo Detran (Departamento de Trânsito) do Estado do Rio de Janeiro, segundo informações do jornal 'O Dia'. Cabral pode passar a integrar a 'lista negra' do Detran por ultrapassar o número de infrações permitidas por condutor, de acordo com o CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

O jornal informa que, no ano passado, o governador levou nove multas em menos de 12 meses. Em sete destes processos, a decisão foi definitiva, não cabendo, assim, recurso administrativo. As multas foram pagas e os pontos, anotados.

O governador foi autuado por trafegar em velocidade superior à permitida, executar operação de retorno em locais proibidos, avançar sinal vermelho, dirigir usando celular, desobedecer agente de trânsito e até transpor bloqueio rodoviário sem autorização.

joao disse...

Poir é o deputado federal EDMAR MOREIRA DO DEM ser nomeado corregedor da camara.

Ele é aquele que defendeu a tese de que deputados, "por vício de amizade", não devem julgar seus colegas.
Edmar construiu em João Nepomuceno Minas Gerais um castelo avaliado em R$ 20 milhões! E o cara de pau, teve o bloqueio de seus bens pedido pelo Ministério Público do Trabalho devido a R$ 45 milhões em dívidas de suas empresas.

Também é nvestigado no STF por apropriação indébita de INSS.

Mesmo assim, foi escolhido corregedor da Câmara e já avisou que, não já disse que não renunciará ao cargo.

O QUE SÃO UNS TRAPOS PERANTE TAMANHA CARA DE PAU?

Anônimo disse...

Cel Paul está de volta!
http://celprpaul.blogspot.com/

Anônimo disse...

ATENÇÃO!
ATENÇÃO!
ATENÇÃO!



Secretaria de Segurança recomenda a expulsão de oito oficiais da Polícia Militar

RIO - Oito oficiais da Polícia Militar do Rio podem ser expulsos da corporação. Em documento a que o site do GLOBO teve acesso, o secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, recomendou ao Tribunal de Justiça (TJ) a demissão de dois tenentes, quatro capitães, um major e um tenente coronel. De acordo com o documento assinado pelo secretário, os oficiais roubaram caixas eletrônicos, negociaram redução de operações policiais em favelas em troca de dinheiro, salvaram traficante da prisão e negociaram segurança no transporte de drogas de Fernandinho Beira-Mar.

Segundo a Constituição, um oficial somente pode perder a patente se for considerado culpado pela Justiça Militar. Como o Estado do Rio não tem tribunal militar, os oficiais são julgados pela Seção Criminal do TJ, composto por 16 desembargadores - os dois mais antigos de cada uma das oito câmaras criminais. Durante todo o ano de 2007, a Seção Criminal do TJ recebeu sete processos contra oficiais. E de 2002 a 2006, oito processos, o mesmo número que Beltrame acaba de encaminhar para o Tribunal.

De acordo com o documento assinado por Beltrame, o tenente Anderson Silva dos Santos foi flagrado em 2003 por escuta telefônica negociando com o bandido conhecido como Tio Beto serviço de segurança para o transporte de Sepetiba para o Rio de grande quantidade de drogas do traficante Fernandinho Beira-Mar.

Policiais negociaram menos operação policial em troca de dinheiro
O major Fábio Gutman e o capitão Wellington da Silva Medeiros negociaram com o chefe do tráfico da cidade de Deus a diminuição das operações policiais do Grupamento Especial Tático Móvel em troca de R$ 120 mil por mês. Ainda segundo o documento, o tenente coronel José Carlos Dias de Azevedo sabia e concordou com a negociação.

Após a tentativa do bando chefiado pelo traficante Thiago de Mello Castro, o TH, de invadir o Morro da Mineira , no Catumbi, em 2007, o tenente Jorge Eduardo Prates da Silva prendeu em flagrante cinco integrantes da quadrilha. No entanto, o oficial alegou na delegacia que justamente TH não estava na caçamba de um caminhão onde os bandidos foram presos. O traficante foi liberado , após o tenente contar que TH estava nas imediações, desarmado e sem identificação.

Policiais são acusados de roubar caixas eletrônicos
Os capitães Márcio Passos Gomes e Ademilson Ornellas Emerick foram acusados de participação no roubo de caixas eletrônicos dentro do prédio da Comlurb, na Tijuca. Os oficiais utilizaram as viaturas da Polícia Militar para cometer o crime, em 2004.

No mesmo ano, o capitão Marcelo Lourenço Barbosa furtou o caixa eletrônico do Banco Real da Rua General Polidoro, em Botafogo. Na madrugada do crime, ele estava escalado para o serviço de ocupação da Rocinha. Sem comunicar os superiores, o capitão trocou de viatura por uma sem sistema de localização por GPS e seguiu para Botafogo para praticar o crime.

QUE SUJEIRA!

BirdBardo Blogger disse...

E a imprensa fala de desperdício...COmo lhe convém!