domingo, 28 de fevereiro de 2010

Campanhas caras e leis duras estimulam corrupção no Brasil, diz 'Economist'


A edição desta semana da revista britânica The Economist traz um artigo em que afirma que os altos custos das campanhas políticas no Brasil, aliados a regras de financiamentos eleitorais “estritas de maneira irrealista”, são a origem de muitos dos escândalos de corrupção no país.
A revista cita o recente caso envolvendo o governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda.

“A cueca foi, ao longo dos tempos, uma peça de foro íntimo. Hoje é de foro privilegiado.”

4 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente, não sei quem é pior na foto, se o ladrão do Arruda, ou o mentiroso e também ladrão do Sergio Pinóquio???? Tá muito difícil!!! Mas arrisco a dizer que o ladrão do Arruda ainda consegue ser MELHOR do que o pilantra, mau-carátel, mentiroso e ladrão do Sergio Pinóquio. Acho que pior do que Pinóquio é IMPOSSÍVEL!!!!!

sueliii disse...

FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!
FORA CABRAL 171!!!!!!!

Anônimo disse...

O Pinóquio é o pior de todos disparadamente. Esse crápula conseguiu ser pior do que Brizola, Marcelo Alencar Manguaça e Casal Garotinho, disparadamente.

E olha que eu duvidava quem conseguiria tal façanha!!!!!

Anônimo disse...

Pios é, mas o Pinóquio 171 conseguiu ser o pior de todos!!!

Cabral, os teus dias estão contados, seu verme salafrário!!!!!