domingo, 28 de agosto de 2011

RIO PACIFICADO - tráfico voltou ao Complexo do Alemão


POLÍCIA MILITAR do Rio afirma que tráfico voltou ao Complexo do Alemão

A Polícia Militar (PM) do Rio de Janeiro afirma que ao menos um chefe do tráfico de drogas dos complexos do Alemão e da Penha voltou às comunidades da zona norte da cidade, apesar das ocupações do Exército.

Conforme a PM, Paulo Roberto de Souza Paz, o Mica, tem andado livremente pelas favelas, ameaçado moradores, frequentado festas e coordenado a venda de drogas. O Exército diz não ter conhecimento disso.

Conforme o major Marcus Vinícius Bouças, "os traficantes não passariam pelas nossas blitze". A presença de Mica no complexo, porém, é confirmada por policiais. Em 21 de julho, um caminhão de cerveja foi roubado em um dos acessos à favela Parque Arará, em Bonsucesso, e os PMs afirmam que a carga foi usada no aniversário de Fabiano Atanázio, o FB, que contou com a presença de Mica. Para o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, enquanto existir consumidor, haverá tráfico.

Folha de S. Paulo.


4 comentários:

Alexandre Brandão disse...

http://www.aprasc.org.br/noticia.php?id=700

#AnistiaSC: 30 de agosto - twitaço pela anistia em Santa Catarina!



No dia 30 de agosto, terça-feira, a partir das 14 horas, ajude a cobrar a anistia. Faça parte do twitaço! Escreva a tag #AnistiaSC no seu twitter! E vamos juntos cobrar do governo a aplicação da anistia em Santa Catarina! Ajude a divulgar essa mensagem! Publique no seu blog!

Em dezembro de 2008, familiares e praças do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar realizaram manifestação por melhores salários e condições de trabalho. Por isso, 19 PMs foram expulsos da Polícia Militar por participação do movimento reivindicatório. Desses, 14 PMs estão excluídos, quatro retornaram por decisão judicial e um falecido, assassinado fazendo segurança pública, que também estava na ativa por decisão judicial. Com exceção de um policial, todos os retornos por decisão judicial ainda são inconclusos.

Além dos excluídos, foram abertos mais de 50 conselhos de disciplinas, dezenas inquéritos policiais militares (IPM) e centenas de processos administrativos (PAD).

O que impressiona é que o governo do Estado, a Secretaria da Segurança Pública e os Comandos da Polícia e Bombeiro Militar não querem cumprir a Lei da Anistia (Lei nº 12.191/2010), apesar de ter sido sancionada em 13 de janeiro de 2010 pelo ex-presidente Lula.

A lei anistia policiais e bombeiros militares de nove unidades da federação, entre elas, Santa Catarina. É a mesma lei que agora foi emendanda pelo Senado Federal para incluir os bombeiros do Rio de Janeiro.

Desde que foi promulgada, quatro governadores de Santa Catarina ainda não cumpriram a lei: Luiz Henrique da Silveira, João Eduardo Souza Varella, Leonel Pavan e, agora, Raimundo Colombo.

Há uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4377) de iniciativa do desembargador Varella, quando assumiu o governo interinamente no começo de 2010. No entato, a ADI ainda não foi julgada e a lei continua em vigor. No final de 2010, o ex-governador Pavan aplicou anistia parcial, através do Decreto nº 3.433, de 3 de agosto de 2010, que suspendia os processos administrativos disciplinares na PM e no BM até o 31 de dezembro de 2010.

Aplicar anistia não é novidade em Santa Catarina. O próprio ex-governador Luiz Henrique da Silveira já fez isso duas vezes.

Para o bem da segurança pública de Santa Catarina, para a pacificação dos quartéis e para que se faça justiça é importante que o Executivo promova a anistia aos praças da Polícia e Bombeiro Militar.

No dia 30 de agosto, terça-feira, a partir das 14 horas, ajude a cobrar a anistia. Faça parte do twitaço! Escreva a tag #AnistiaSC no seu twitter! E vamos juntos cobrar do governo a aplicação da anistia em Santa Catarina! Ajude a divulgar essa mensagem! Publique no seu blog!

Sigam:

http://www.twitter.com/_aprasc
http://www.twitter.com/sargentosoares
http://www.twitter.com/sgtsouzall
http://www.twitter.com/raulgeumihrle
http://www.twitter.com/tupanfloripa

HOSPITAL ESTADUAL PEDRO II disse...

SAÚDE ESTADUAL ACAMPARÁ NA ALERJ

Olá pessoal, nesta 4ª feira estará acontecendo na ALERJ a privatização da saúde estadual, está na pauta a votação das OSs (Organizações Sociais). Isto representa o fim do SUS, o fim do servidor público e a piora no atendimento ao usuário do SUS. Para quem não sabe em São Paulo as OSs já estão na rede de saúde e no ano passado retiraram 25% do atendimento das OSs que era gratuito e passaram para operadoras de saúde, ou seja, planos privados de saúde. aqui no Rio segue o mesmo caminho.
Não podemos ficar de braços cruzados e ver esse trator chamado Sergio Cabral passar por cima de nós. VAMOS REAGIR!!!!!


Dia 30/08 (3ª-feira)a partir das 14 horas faremos 1 ato na porta da ALERJ para cobrar dos Deputados que votem contrario as OSs e para precionar o governo a abrir negociação em torno de nossa pauta d e reivindicação que foi entregue dia 03/08 e até hj nenhuma resposta. Esse ato de 3ª feira será seguido de uma vigilia, ou seja, passaremos a noite na ALERJ até 4ª feira na votação das OSs. Nós servidores temos que estar lá. Quem não puder ir a tarde, vá a noite ou na quarta-feira bem cedinho.

Estamos solicitando também doações de café, pão, açúcar, manteiga e água para os servidores que passarem a noite lá.

PRECISAMOS DEFENDER NOSSO EMPREGO E RESGATAR NOSSA DIGNIDADE!!!!!

Anônimo disse...

A notícia do trafico voltou ao complexo do Alemão, não me surpreende, acredito até que o tráfico nunca saiu, pois ao visitar o Complexo, fui surpreendido com uma fila formada por usuários para compra de drogas em plena luz do dia distante apenas 600 metros das barreiras policiais.
Lamentável, mas o que parece é a existencia de um acordo, usando o poder público apenas para proteger o tráfico local, de invasões das facções rivais. Assim evitando confrontos e conflitos armados que possam repercutir na midia´uma realidade proxima do que atualmente existe e não é divulgado nos veiculos de comunicação. blindando o estado de direitos inclusive o da informação.

Anônimo disse...

Concordo com o último comentário. Pois todo esse "aparato militar", com todo o desenrolar dos acontecimentos durante a """ocupação e pacificação""" só foi para "inglês ver", o que realmente aconteceu por causa dos eventos de 2014 e as olimpíadas.Então,resumindo, no Brasil é censurado quem fala a verdade, bandido que é bandido mesmo, fica a solta e os políticos corruptos também ficam numa boa, ou seja, não é só invadir uma favela com blindados, mas capturar, prender, julgar e condenar e que a lei seja cumprida sem que o "advogado" deste sujeito, atenue ou até mesmo solte o sujeito para que o mesmo fique a vontade para fazer o que bem entende. Só mais uma coisa: toda violência, quer sim ou quer não, têm suas origens não por falta de escola ou até mesmo por falta de oportunidade, não que isso tambem seja um fator, entretanto, a origem de tanta violência é a sua própria "administração" de lei que muitas vezes dá "armas" para que muitos sejam soltos com facilidade.Pode parecer piada, mas não é, um vez um vizinho fez uma festa com 15 carros, isso mesmo, 15 carros com som no último na rua e ficaram 24 horas, começando das 21:30 de sábado até as 21:30 de domingo, fizemos todo o processo legal pois não agimos como animais batendo boca mas sim tentando entrar em um acordo via conciliação, mas não abaixaram o som.O que a polícia pode fazer, se olharmos bem, nada. Mas podiam sim chamar a polícia de trânsito para que fossem recolhidos os carros que obstruiram a rua, a polícia poderia sim chamar a delegacia de meio ambiente para registrar o som alto e esses vizinhos para multa pela poluição sonora,porém, o que a polícia faz: vai ao local, pede para abaixar o som, logo as pessoas abaixam e quando a polícia vai embora e o que acontece depois? Tudo volta ao que estava antes, barulho, pessoas com idade não podendo dormir em seus corpos cansados de uma vida longa de trabalho, trabalahadores que no domingo têm sua carga normal e que precisam descansar. e tudo acaba em quê? Pizza e mais pizza. Se nem uma contravenção penal, algo simples não é de forma efetiva combatida nos rigores da Lei, então, já o tráfico do Rio de janeiro nem de perto foram atingidos. O que fazer? A resposta é simples, mas, INFELIZEMNTE, atitude verdadeira, algo real e de eficiência duradoura contra o tráfico é totalmente diferente. O que precisa é: colocar políticos corruptos na cadeia enquanto no mesmo tempo cortar o dinheiro do tráfico, cortar os armamentos e caçar todos os bandidos ao um ponto que eles não tenham como fugir e se necessário matá-los aos montes até que uns poucos sobrem e que sejam presos sem como terem com sair, não obstante, é mais fácil eu ser preso por esse comentário porque vão dizer que estou incentivando uma violência e atentado aos direitos humanos, se bandido fosse humano eles não matariam pessoas inocentes a esmo e colocando culpa na polícia por causa da guerra do tráfico do que aqueles que realmente precisam serem subjulgados pela Lei. Tem uma expressão latina: DURA LEX, SED LEX, a lei é dura, mas é lei, porém aqui no Brasil, seria assim essa expressão: a lei é dura para quem cumpre a lei, pois fica mais fácil prender aquele que tem uma vida de trabalho mas é a lei e aqueles que não a cumprem deixamos que façam o que quiser.