quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Polícia boa é Polícia bem remunerada!

video

Discurso do Deputado Flávio Bolsonaro

4 comentários:

Anônimo disse...

Associação de policiais e bombeiros diz que operação padrão não é legítima
Órgão fará manifestação nesta quinta no Largo do Machado

Rio - A Assinap (Associação de Policiais e Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro) divulgou nota, na tarde desta quarta-feira. O documento afirma que a operação padrão supostamente realizada por policiais não é legítima e convida PMs e BMs, ativos e inativos, para participar da manifestação do Movimento Unificado do Servidor Público (Muspe), nesta quinta-feira, às 10h, no Largo do Machado. Confira a íntegra:

"Caro policial, a ASSINAP não reconhece a legitimidade da operação padrão. Cuidado! Não queira aderir a um movimento que ninguém sabe ao certo como surgiu nem que é seu criador.

Fazer uma operação padrão com mero objetivo de lotar cadeias não é racional e ainda pode levar o agente de segurança a cometer excessos e arbitrariedades contra cidadãos de bem. O argumento de prender por prender foge a qualquer noção de razoabilidade.

Uma Operação Padrão nos moldes convencionais é aquela onde o policial se recusa a atuar por não possuir seus equipamentos de segurança, viaturas, armamentos e salários em condições dignas. Uma operação, aliás, que poderia ser justificada em nosso estado, dada as condições miseráveis em que vive o policial fluminense.

No entanto, a operação que vem sendo difundida para se iniciar hoje não obedece a essa norma.

Portanto, já que a operação padrão não será nos moldes convencionais, a ASSINAP aconselha a todos os policiais que NÃO participem do movimento.

Convidamos todos os PMs e BMs, ativos e inativos, para participar da manifestação do Movimento Unificado do Servidor Público (Muspe), nesta quinta-feira, às 10h, no Largo do Machado. Esta sim, uma manifestação com autor e objetivos definidos".

Miguel Cordeiro
Presidente da ASSINAP

Anônimo disse...

Delegados do Rio planejam paralisação para o dia 18

Uma possível paralisação dos delegados do Rio, por reajustes salariais, pode acontecer a partir do dia 18 se o estado não se posicionar sobre as promessas de campanha feitas pelo governador Sergio Cabral de equiparar os salários dos delegados às demais ...
carreiras jurídicas do estado. Hoje, a Adepol enviou telegrama fonado ao o secretário de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy Barbosa, pedindo que uma audiência seja marcada para tratar do assunto até o dia 18.

Segunda-feira, a Adepol publicou em sua página na internet nota pública com a ata da reunião em que faz duras críticas ao atual governo. O documento, assinado pelo presidente da associação, Wladimir Reale, diz que o governo Cabral tem sido o pior dos mandatos e que Garotinho tratou melhor dos delegados que Cabral. A nota diz ainda que a classe tem passado por ilegal, injusta, descabida e insportável situação.

A nota foi postada na íntegra também na página do Sindicato dos Delegados de Polícia do Rio do Janeiro (Sindelpol) e comentada pelo presidente da instituição, delegado Sérgio Caldas, que afirmou serem justíssimas as considerações apresentadas na nota. Semana que o Sindelpol e a Adepol vão se reunir para tratar de uma nova assembléia. "Já fizemos consultas e reuniões com Sérgio Ruy mas nada ficou definido. Já se passaram quase três anos e ninguém fez nada. Uma paralisação não está descartada", disse Caldas.

Anônimo disse...

Tudo isso acontecendo e o Governador viaja essa noite para Alemanha, onde vai expor seus argumentos em favor da candidatura do Rio para as Olimpiadas 2016. Imagina se os avaliadores do COI (Comitê Olípico Internacional) tomarem conhecimento da forma debochada e desrespeitosa que o Funcionalismo é tratado por este Governador. O Rio vai perder essa disputa por causa deste detalhe.

Anônimo disse...

RIO - Cerca de 500 servidores públicos do estado estão no momento na Rua das Laranjeiras fazendo uma passeata rumo ao Palácio Guanabara. São funcionários de diferentes setores, como saúde e educação. Eles reivindicam aumento de salário. O trânsito está lento na via e a chegada dos manifestantes até o palácio deve levar cerca de 30 minutos.