terça-feira, 10 de março de 2009

NUM GOVERNO DE MENTIRA, CABRAL PRENDE CORONEL POR DIZER A VERDADE!

1. O Coronel Ronaldo Antônio de Menezes foi preso disciplinarmente (!) por 4 dias. Razão: escreveu um artigo que o Coronel Ricardo Paúl publicou em seu blog (http://celprpaul.blogspot.com/). O artigo trata do bico dos policiais em toda a pirâmide social, desde os condomínios de renda alta, passando por certos corredores comerciais e chegando aos mais pobres via milícia. Inacreditavelmente foi preso por falar a verdade, uma verdade óbvia. Trechos do artigo, abaixo.

2. “Veicula-se mais um concurso para ingresso nos quadros da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, como sempre é feito quando fatos perturbadores ou números indicam a falência da segurança pública no nosso Estado." (...) “A falta de investimento na profissionalização do Policial tem uma ação perversa em desfavor do agente de segurança pública e da sociedade em geral, pois, ao sentir-se desvalorizado, seja financeira, institucional ou moralmente, e descobrir que, executando atividades paralelas, obterá melhor remuneração, o homem perde o vínculo com o público e prioriza o privado."

3. "Como os agentes possuíam duas fontes de pagamento, a administração pública entendeu que não era mais necessário pensar em uma remuneração condigna ou condições de trabalho, bastava fechar os olhos e institucionalizar oficiosamente o ‘bico’. O quadro parecia que estava pronto, o ‘bico’ tornou-se a atividade principal e o serviço público virou uma atividade complementar, cujo principal atrativo era conferir o direito à identidade e arma de fogo. O patrão deixou de ser a população e passou a ser o ‘Dono da Segurança’, o interesse deixou de ser a coisa pública e passou a ser o privado."

4. "O policial passou a trabalhar completamente extenuado, físico e emocionalmente, uma vez que a jornada dupla consumia-lhe as forças; este homem, armado e com a incumbência de proteger a sociedade, tornou-se uma ameaça em potencial ao partir para as ruas, insatisfeito com o salário baixo e o descaso com que é tratado, portanto, propenso a práticas arbitrárias e acidentes que podem vitimar tanto a si quanto àqueles que devia proteger."

5. "Toda essa prestação de serviço que substitui o papel estatal, seja no atendimento ao topo ou à base da pirâmide social, deixa bem clara a privatização do sistema de segurança pública e uma perigosa inversão de valores."

Texto do ex prefeito César Maia

---------------------------------------------------------------------------------------
CORONEL DA PM PRESO POR PUBLICAR ARTIGO EM UM BLOG, GANHOU AS PÁGINAS DOS PRINCIPAIS JORNAIS.


Coronel da PM é preso por publicar artigo.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/03/10/coronel-da-pm-preso-por-publicar-artigo-754768608.asp

Presidente da Assinap comenta prisão de coronel.
http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/post.asp?t=presidente-da-assinap-comenta-prisao-de-coronel&cod_Post=167521&a=443

Coronel da PM é preso no Rio por publicar artigo sobre os "bicos" feitos por policiais.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u532456.shtml

Coronel critica PM e acaba preso em Niterói.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/coronel_critica_pm_e_acaba_preso_em_niteroi_235065.asp

Coronel que criticou a Polícia Militar é preso em Niterói.
http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/03/10/e100321093.asp

9 comentários:

Anônimo disse...

O discurso do dep Bolsonaro na assembleia legislativa do Rio é muito grave, trataçse do chefe do estado maior da pm, que mora a seis anos em uma casa do estado e ainda assim recebe auxílio moradia, se for verdade ele deve ser afastado, ser obrigado a devolver o dinheiro e responder administrativa e penalmente pelo fato.

Anônimo disse...

O Comandante Geral Cel. Pitta AINDA NÃO SE PRONUNCIOU? Com certeza está esperando um sinal verde do Palácio Guanabara!!!

Anônimo disse...

onde começa a corrupção? Sempre de cima para baixo. E agora Cabral????seus capacho se enrolaram e qual será sua atitude????

CPI da PMERJ disse...

223% foi um cala boa e faça o que eu mando. É muita sujeira que estão escondendo debaixo do tapete.
Vamos começar a pensar sobre o impeachment desse sujeito chamado de governador, o Rio de Janeiro não merece isso e o cidadão carioca muito menos.

Anônimo disse...

Que CANALHAS!!!!! Espero que o Deputado Jair Bolsonaro abra essa tal caixa preta que coisas podres aquelas que fedem mutio vai aparecer e deixar as pessoas assustadas. Cabral engorda seus contra-cheques com 223% e neguinho ainda mora de graça e recebe por isso?

Anônimo disse...

A GANÂNCA PELO PODER É QUE DENIGRE A CORPORAÇÃO.

Anônimo disse...

Polícia de SP cobra até taxa de PM que deixa farda no quartel


SÃO PAULO - O policial militar da polícia paulista paga até para deixar suas roupas no armário do quartel ou usar o alojamento. A taxa, cobrada em nome do Fundo Especial da Polícia Militar (Fepom), é descontada diretamente no contra-cheque e o valor varia conforme a patente.

Um soldado com 12 anos de trabalho, por exemplo, precisa desembolsar R$ 2,05 por mês para deixar sua roupa no armário. Já o oficial que dorme no batalhão paga a quantia de R$ 11, e o PM R$ 3.

Esta não é a única taxa cobrada da taxa. Para que a família tenha assistência médica, a tropa paga 2% do salário ao Hospital Cruz Azul, em São Paulo. Porém, o desconto no salário ocorre mesmo que o policial não tenha

dependentes ou more fora da capital, onde fica o hospital. Cerca de 66% dos PMs vivem no interior.

Em nota, a PM diz que a cobrança do Fundo Especial da Polícia Militar é prevista em lei. Os descontos, segundo a nota, são facultativos a quem não utiliza armários ou alojamentos e que o PM pode solicitar a exclusão da taxa. Argumenta inda que a arrecadação é revertida em benefício do policial e no seu "bem-estar no ambiente de trabalho".

Segundo entidades representativas da categoria, por medo de represálias, ninguém pede exclusão da taxa, nem mesmo os que servem em quartéis onde não há armários, alojamento ou até chuveiro.

Levantamento feito por entidades que representam os policiais mostram que 60 mil dos 94 mil policiais militares do estado sofrem problemas de estresse, distúrbios psicológicos ou envolvimento com álcool ou droga.

O excesso de trabalho é justificado poeque, na maioria das vezes, os PMs recorrem aos "bicos" - serviços extras de vigilância particular fora do horário de trabalho.

Com isso, dormem pouco, ficam dias longe da família, se alimentam mal e vão para as ruas estressados. Segundo o deputado, a situação do oficial é ainda pior que a do praça, que ganha R$ 1.700.

Apesar dos problemas de saúde, o atendimento psiquiátrico é difícil. Segundo o deputado estadual e major Olímpio Gomes, o Centro de Assistência Social, Religioso e Jurídico (Casrj) da PM conta com apenas oito psicólogos para atender 94 mil policiais.

- Quando o policial precisa de tratamento, tem que recorrer ao plano de saúde ou se submeter às filas do SUS - comenta.

Portador de transtorno bipolar, o soldado Antonio (nome fictício), há 12 anos na PM, só conseguiu a cura no Hospital das Clínicas.

- Na PM, só me davam remédios e me mandavam para casa - conta.

Ele afirma que o psicólogo que atende o policial transtornado é um oficial.

- O olhar dele será sempre do superior para o comandado. Como posso, então, contar problemas íntimos se corro o risco de ser preso na mesma hora?

O centenário e imponente Hospital da Polícia Militar (HPM), no Barro Branco, Zona Norte da capital, sofre com a falta de funcionários. Faltam médicos, enfermeiros, auxiliares, assistentes sociais, fonoaudiólogos e o serviço de farmácia fechou.

O setor de psiquiatria foi desativado. Também não há ginecologista nem obstetra, mesmo com 8 mil mulheres na corporação.

- O HPM é o único hospital do mundo sem enfermeiros. Os médicos foram saindo por falta de perspectivas na carreira, e os poucos especialistas que restam fazem plantão para atender a demanda - diz o tenente Francisco Jesus da Paes, do Clube dos Oficiais da Reserva.

O HPM atende apenas os policiais militares.

Em nota, o Comando da PM diz que sua política de saúde é uma das melhores do funcionalismo público e semelhante à do SUS, integrando ações curativas e preventivas. A PM afirma que, no momento, realiza concurso para completar o quadro de profissionais de saúde, em várias especialidades, e na área de saúde bucal. A PM diz que tem investido fortemente na estrutura de saúde, criando policlínicas para prevenção de moléstias.

JORNAL O GLOBO

Anônimo disse...

Comissão de Direitos Humanos vai prestar solidariedade a coronel

Pela primeira vez, a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa vai visitar um policial preso por trangressão disciplinar. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Freixo (PSOL), acaba de confirmar a este blog que vai amanhã à tarde prestar solidariedade ao coronel da PM Ronaldo Antonio de Menezes, visitando-o no cárcere de um quartel da PM em Niterói. Menezes está preso desde ontem, e ficará até sábado, acusado de transgressão disciplinar porque manifestou opinião sobre a deterioração da segurança pública em artigo num blog de outro oficial da PM. Freixo não teve tempo de reunir a Comissão, mas vai como parlamentar e está convidando outros deputados que integram o grupo. Um deles é o deputado Flávio Bolsonaro, que foi o primeiro a manifestar solidariedade ao coronel da PM.

- Essa prisão do coronel é um ato de censura e absolutamente deslocado da história. É um desestímulo àqueles que dentro da polícia estão empenhados em oferecer melhor serviço e querem pensar e debater as questões de interesse público. Vamos prestar solidariedade ao oficial também porque a defesa dos direitos humanos é ampla. Direitos humanos querem o cumprimento da lei e uma sociedade mais justa. Consideramos que o coronel Menezes, a quem não conheço pessoalmente mas tenho informações de que tem uma conduta correta, foi vítima de uma injustiça - afrmou o deputado Marcelo Freixo.

O deputado me disse que vai comunicar ao comando do quartel a ida dele e de outras pessoas solidárias ao coronel, que vão sair da Assembleia às 13h de amanhã.

Bom seria que os cidadãos de bem se juntassem a esse grupo e fizessem uma vigília na porta do quartel, pedindo a liberdade do coronel que falou a verdade.

Recruta disse...

É uma arbitrariedade o que estão fazendo, mas se notarem isto é feito com praças a bastante tempo e agora que atingiu um CEL acho que todos vão se mexer para acabar com a pouca vergonha!