domingo, 12 de abril de 2009

PARA SER OFICIAL DA PM TEM QUE TER SANGUE AZUL


7 comentários:

Anônimo disse...

E OS PODRES APARECENDO!

Anônimo disse...

Cresce o número de praças da PMERJ que, aprovados nas provas escritas, ficam reprovados em exames subjetivos, porém obrigatórios para quem pretende ingressar no quadro de oficiais da corporação. Eles são reprovados em testes de saúde, psicotécnico ou pasmem, na pesquisa social. Isso levanta algumas dúvidas a respeito dos critérios usados nessas seleções como: Se o Policial Militar tem problemas de saúde tão graves a ponto de impedir que ele seja promovido como ainda está trabalhando na própria Policia Militar? Quer dizer que pra ser praça ele pode trabalhar enfermo? Outra é a reprovação no psicotécnico, ora...se o policial é apto para portar uma arma de guerra como praça, galgando as promoções de cabo, sargento, etc, por que não pode ser oficial? Claro que ainda tem os casos de filhos de coronéis que não passam nas provas e que, na camaradagem, a Ten. Cel Siciliano afasta um praça para colocar o burrinho na academia, é a PMERJ sendo cada vez mais PMERJ.

Pelo menos um dos reprovados nos exames subjetivos não pode, de forma alguma, ser considerado um mau policial: foi aprovado em primeiro lugar no CFSD assim como no CFCB, mas segundo a Ten. Cel. Siciliano (Que como mulher que é nunca vai ser Cel. Full na ativa) e seus “ajudantes” ele não está apto para ser oficial. E ainda tem oficialzinho que entra aqui e diz para o praça que se ele quiser um pouco de dignidade que faça a prova para oficial, eu acho que é mais uma humilhação que passamos nessa porcaria. Se é para estudar, que estudemos para sair dessa corporação.

CPI da PMERJ disse...

O FIM ESTÁ PRÓXIMO
CPI DA PMERJ JÁ!
O FIM ESTÁ PRÓXIMO
CPI DA PMERJ JÁ!
O FIM ESTÁ PRÓXIMO
CPI DA PMERJ JÁ!

Anônimo disse...

É Major WANDERRBY creio que O sR está com a razão, infelizmente, pois acreditava muito neste cidadão, como Secretário, ainda mais vindo do mundo da Inteligência, da operção suporte, deveria saber que o Pitta quase estragou a operação camisa preta da Polícia Federal, mandando o Sgt PM que estava infiltrado na quadrilha do morro do Adeus, recuperar o carro da PM 2 e os pertences pessoais dele (Pitta), sendo impedido em razão do grampo da Federal que avisou ao Sgt e o impediu de voltar ao morro, pois todo dossie da operação estava na mala da viatura reservada que foi roubada com este oficial na estrada do Itarare, beirando o morro do alemao e adeus. Estava junto com os documentos diversas receitas médicas do filho do Pitta. Querem saber mais sobre este caso, perguntam a quem estava participando desta operação, principalmente os agentes da PF que odeiam o Pitta, pois naõ se conformam que foi inocencia. Ou então procurem o Sgt que estava infiltrado, não falarei o nome dele´pq não tive permissão, e tenho ética, ao contrário do Cmt Geral e principalmente do Chefe do EM Davi. QUEM É SABE.

ARMANDO disse...

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."

Rui Barbosa

Anônimo disse...

Há muito tempo que tem maracutais nesse processo p/ entrar na APM, lembro-me de um Tal de Perteson de Campos dos Goitacases(provavel afilhado de rosinha, governadora na época) que entro na academia uma semana posterio ao início do curso e ficou por uns 6 meses até se denunciado por Alguns praças que foram injustiçados e foi excluido.
O mais engraçado é que esse tal Peterson se increvel p/ o Bombeiro , mas conseguiu entrar p/ APM.
Isso ocorreu no ano de 2005 ou 2004 se não me falha a memória, ministério Público neles.
Cb ciclano.

Anônimo disse...

Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

Difícil travessia

A Comissão de Segurança Pública da Alerj - via deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) - deve convocar a coronel Ana Claudia Siciliano para depor em audiência. Há denúncias de que tem havido grande dificuldade para os praças que passam no vestibular para Academia Dom João VI, ou seja, para virarem oficiais. Segundo estas denúncias, muitos dos que passam até bem colocados têm sucumbido na Pesquisa Social ou no psicotécnico.
A questão é: se foi reprovado na pesquisa social, não deveria continuar como praça. Se não foi, deveria ter a chance de virar oficial, após dois anos na academia, só indo para casa nos fins de semana. Ou não?

Enquanto isso, os oficiais que prestaram serviços para a Liga das Escolas de Samba não passam por nenhuma pesquisa social. Que pena.
Marcadores: Segurança Pública


http://gustavodealmeida.blogspot.com/