sábado, 10 de janeiro de 2009

Justiça tira sites de PMs do ar em Santa Catarina.

A Justiça de Santa Catarina determinou a retirada do ar de dois sites da associação de policiais militares de Santa Catarina, que paralisou parte das atividades da corporação nos últimos dias de 2008.
A suspensão das páginas foi pedida pelo governo do Estado, que argumentou que os policiais incitavam pela internet a greve na corporação, o que é ilegal. O governo de Luiz Henrique da Silveira (PMDB) também quer a dissolução da entidade, chamada Aprasc (Associação de Praças do Estado de Santa Catarina), mas a Justiça ainda não tomou nenhuma decisão sobre o pedido.
Após seis dias de paralisações em protesto por aumentos salariais, o movimento dos policiais militares concordou, no último dia 27, em suspender as manifestações até hoje, mas pode voltar a protestar.
O governo inicialmente conseguiu na Justiça a retirada do site oficial da instituição (www.aprasc.org.br). Os integrantes da associação, que reúne PMs e bombeiros, criaram, então, um endereço alternativo para divulgar as posições da entidade. O site acabou suspenso pela Justiça no último dia 2. A associação ficou proibida de criar sites alternativos.
O deputado estadual e presidente da entidade, Amauri Soares (PDT), disse que houve censura. Ele afirmou que a categoria vai retomar as manifestações hoje, mas sem paralisar as atividades da PM. Acampamentos devem ser montados em Florianópolis e no interior.
Durante o protesto em dezembro, os manifestantes e seus familiares chegaram a suspender o serviço 190 em parte do Estado e a montar piquetes para bloquear a entrada em quartéis da PM.
Os manifestantes pedem o cumprimento imediato de uma lei aprovada em 2003, que prevê aumento salarial de 96%. Segundo o governo, a lei não estabelece prazo para o reajuste e vincula o aumento à disponibilidade orçamentária.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u487023.shtml

3 comentários:

Anônimo disse...

é a lei da mordaça!

Daniel disse...

Que os Comandantes se apresentem presos no QG!!

Que demais oficiais se apresentem presos em seus BPMs!!

Que praças se apresentem presos e se recusem a deixar os quartéis!!

DITADURA NUNCA MAIS!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

INVERSÃO DE VALORES NO RJ

A PMERJ está precisando do REAJUSTE SALARIAL e ninguém vai abrir mão desse AUMENTO, pois receber um SOLDO igual ou maior do que o SALÁRIO MÍNIMO é um DIREITO do Policial Militar! Soldados, Cabos e até Sargentos têm soldos abaixo do salário mínimo, o que é um desrespeito à Constituição Federal de 1988! A manifestação da PMERJ é a única forma da voz do PM ser ouvida. Eles (Mídia e Governo) tentam de todas as formas tirar a credibilidade da Polícia. A Imprensa do Rio é contra a Polícia, pois sempre defendeu o "errado"!