domingo, 25 de janeiro de 2009

O TODO PODEROSO.

O leilão dos cinco andares acima do teatro CASA GRANDE, será realizado pelo Estado, no dia 27 ( terça-feira) por um valor mínimo de R$ 75 milhões.

O PMDB queria vender o quartel da PM do Leblon. Queria vender o parquinho da Cedae do Posto 6. Queria vender a delegacia do Leblon... ELES QUEREM ACABAR COM TUDO!

Agora Eduardo Paes quer demolir casas de famílias que moram há 50 Anos na Barra, sem indenização. Leia a carta da atriz Kátia D' Angelo para o prefeito Eduardo Paes.


Carta ao prefeito
Confira carta aberta da atriz Katia D'Angelo para o prefeito Eduardo Paes
Publicada em 24/01/2009




Ao prefeito Eduardo Paes, à classe artística e principalmente aos justos


Propus doar ao município a casa onde moro e trabalho para o ''Centrinho Cultural do Canal'' às margens do Marapendi, na Barra, e acabei vítima das minhas boas intenções. Meu projeto foi indicado por Cesar Maia e Ricardo Macieira como de utilidade, onde num raio de 10 quilômetros nada acontecia. O sonho virou tormento. Eduardo Paes quer demolir minha casa e das famílias que moram há Cinquenta Anos no local, sem indenização, com o argumento de estarmos em área ambiental.
Não basta ter perdido meu filho Ronny, assassinado, perdido o emprego na TV por públicas calúnias difamatórias, ter a servidão para minha escola fechada arbitrariamente,ter dormido uma noite na cadeia por erro da VEP, agora estou prestes a ser uma sem teto. Sem a dignidade que deve o Estado a qualquer Cidadão. Que estado é esse que nos vêem como inimigos e não pessoas a quem deve tutelar? A ''APA'' (área de proteção ambiental) sequer pensava em existir. Não somos Invasores! Não somos ricos!!!

Em 1963, meu pai,diretor de vendas de um loteamento na Av. Litorânea ganhou, como outros empregados, um lote da Companhia Litorânea de Imóveis. Nos anos setenta, apaixonada pela natureza do lugar, reformei nossa casinha (a Serla permitia), me estabeleci, tive filhos e moramos nela até hoje. Montei meu grupo de teatro e alugo parte da minha própria residência para sobreviver com honestidade, pois não tenho outra renda que me sustente. Vinte anos depois desta pacífica ocupação, um decreto obrigou os loteamentos a doarem as áreas marginais dos canais para a prefeitura. Somente 36 anos após, a doação foi homologada.
Jamais a prefeitura procurou quem de fato possuía a terra e nela morava para um humano e justo acordo. Nunca houve proposta de remoção para local próximo como manda a lei. Fizemos bodas de ouro com nossas casas, vivemos em um pedacinho de paraíso, com garças, capivaras e de vez em quando um cardume guerreiro de tainhotas que entram pela Joatinga bravamente apesar de tanto esgoto.Não incomodamos nada nem ninguém. Só aos invejosos.
Os antigos governos com seus corporativismos deixaram a Barra crescer sem estrutura, poluiu suas águas, e seus esgotos sem tratamento matou parte da flora e da fauna. Tirou o sossego que o Barrra tinha, com milhares de viaturas nas ruas, nada fez pela cultura do Bairro e agora usa o argumento 'ambiental' para demolirem nossas casas que ocupam ínfimo pedacinho em sua imensidão. Quando chegamos, a Barra era um enorme matagal. Os novos condomínios deram as costas para o canal, instalaram em suas margens casa de empregados, quadras, churrasqueiras, lixeiras, tratando-o como os fundos do terreno, o fim da rua, o local desprezível.

Eu Desafio!! 80% dos condomínios da Barra têm terrenos invadidos e ninguém mexe com eles. Temos fossa e sumidouro, poluímos o canal muito menos que os condomínios de luxo que nos rodeiam.
A maioria dos países com mentalidades de primeiro mundo trata seus canais, rios e lagoas como pontos de excelência turística. No Brasil é o contrário. O poder exarcebado gosta de mostrar suas garras principalmente a pobres indefesos cidadãos, impede iniciativas como essa de Um Centrinho Cultural, mas não impede que várias favelas tomem as margens dos nossos rios e canais e ali permaneçam ad-eternum sem dignidade humana.
Poderia citar aqui mais de vinte só na Barra, Recreio, Jacarepaguá e São Conrado, onde, contraditoriamente nosso Prefeito Eduardo Paes quer fazer o modelo de sua atuação nas favelas na de nome Canoas, que fica justamente em área ambiental às margens do Rio Canoas encostada na estrada das Canoas. Que lei é essa que para uns pode para outros não pode!!!??? Que Gestão será a sua Eduardo? Que começa assim? Com tanta injustiça? Sem arte e sem cultura sem respeito humano? Uns em detrimento de outros? Em Rio das Pedras Eduardo Paes declarou que vai reassentar mais de mil famílias por estarem morando em situação deplorável.
Favelas às beiras dos Canais, Rios e Lagoas pode? Sem contar as dos morros que há muito extinguiram as franjas das encostas e as belas paisagens do Rio? Se estivéssemos, 50 anos depois no mesmo lugar em estado deplorável, talvez a prefeitura viesse nos paternalizar, mas como melhoramos um pouquinho nossas casas, passamos a ser uma afronta!! Quer que eu peça clemência. Eu peço! Publicamente, para meu teto e para o Centrinho Cultural, bucólico, em decks de madeira sem a pompa dos mármores, exposto a brisa e ao visual e não enclausurados entre as vitrines dos Shoppings. Clemência também para nós cidadãos, moradia digna e trabalho honesto.
Com tanta crise de trabalho e habitação a resolver no mundo, a demolição de nossas casas será a demolição de nossas vidas. Somos oito famílias que vivem no local há mais de cinqüenta anos, trabalhadores desempregados como eu e velhinhos que vivem com um salário de aposentadoria como meu pai. É uma covardia dormir na mansão da Gávea Pequena, acordar e vir demolir o lar de pessoas simples e honestas. Em derradeiro, caso os czares queiram mesmo nossas cabeças, merecemos e precisamos de uma remoção honesta e digna e não de castigo, mãos de ferro, demonstração de poder. Precisamos de um prefeito, inteligente dinâmico, moderno humano, sensível e culto, sem o ranço do populismo calcado em uma legislação hipócrita, inadequada e fora da realidade.
Essa é boa oportunidade de repensar as verdadeiras necessidades da nossa cidade. Ninguém mora ilegal por que quer, sem necessidade! É preciso separar o joio do trigo, os especuladores e os que precisam de casa para morar.
Queremos paz, Paes, já sofremos demais! Deus é paz você Paes só um instrumento. O que já é a Glória!
Parem de nos torturar! Ajudem-nos! Meu coração sangrando agradece!
Katia D'Angelo, (57 anos) é atriz desempregada. Seu pai (91anos) é aposentado e ganha um salário.

Se for para cumprir a lei, que as famílias sejam removidas para área próxima e de condições semelhantes a que moram há cinquenta anos.
É preciso tornar essa situação pública porque não pode haver dois pesos e duas medidas para se governar com democracia. Como vai ficar a situação de dezenas de ocupações iguais as nossas pelos condomínios da Barra? Vão ao chão também?
Nós queremos abrir uma discussão pública sobre a postura das demolições que não é transparente e igual para todos.



http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/01/23/confira-carta-aberta-da-atriz-katia-angelo-para-prefeito-eduardo-paes-754119770.asp

3 comentários:

CPI da PMERJ disse...

NÃO FOI POR FALTA DE AVISO!

"Candidato da Especulação Imobiliária
Paes é ligado a construtoras e empreiteiras. Ele acabará com qualquer tombamento e APAC que seja de interesse deste poderoso grupo, para a construção de novos espigões que irão entulhar nossa cidade. Dou um exemplo: você gosta da Cobal do Leblon ou do Humaitá? Com Paes, diga adeus a elas".

CPI da PMERJ disse...

CANDIDATO DA ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA
Os aliados de Eduardo Paes já tentaram vender o quartel da PM do Leblon, delegacia do Leblon, o Parque Peter Pan do Posto 6, a Cobal do Leblon, a Cobal do Humaitá. Essas duas últimas foram tombadas de emergência pela atual Prefeitura.

Quer saber de onde vem todo o dinheiro da campanha de Eduardo Paes? Eduardo Paes é o candidato das construtoras e empreiteiras. Ele é o candidato da especulação imobiliária. Explicado?

Com Paes no poder, a cidade do Rio de Janeiro inteira estará à venda. As APAC e os tombamentos atuais acabarão, entulhando o Rio de Janeiro com novos dezenas de novos prédios. Isso trará o caos à cidade, com uma superpopulação e trânsito impossíveis. Tudo isso somente para enriquecer ainda mais alguns grupos poderosos. E o próprio Eduardo Paes.

Anônimo disse...

ESSA É BOA!

Proposta dá poder de polícia às Forças Armadas

Uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que tramita na Câmara dos Deputados pretende dar poder de polícia às Forças Armadas. A proposta do deputado Antonio Carlos Pannunzio (PSDB-SP) muda o artigo 142 da Constituição, que define as atribuições de Exército, Marinha e Aeronáutica. Segundo a PEC, as Forças Armadas poderiam agir como polícia em qualquer área do território nacional. Atualmente, as três Forças têm como destinação constitucional a defesa da pátria, a garantia dos poderes constitucional ou, por iniciativa destes, a manutenção da lei e da ordem. Para ser aprovada, a PEC do deputado Pannunzio — que ainda não passou pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania — precisa da aprovação de 3/5 da Casa, ou 308 deputados.